O filme Pixels estreou nesta quinta-feira(23) aqui no Brasil. O filme começa retratando o cenário gamer da época, com suas incríveis lojas de fliperama, mostrando realmente como era ser um fã de games na década de 80.

Resumo


Adam Sandler retrata o personagem Sam Brenner (protagonista). Na infância, Sam, é muito bom em jogar vídeo games, chegando a se tornar vice campeão Mundial de Donkey Kong. Ao crescer, Sam, se torna um "fracassado", por não ter um emprego super remunerado. Will Cooper (Kevin James) é um amigo de infância de Sam, que futuramente se torna o presidente dos Estados Unidos.

Elenco da esquerda para a direita, Kevin James, Michelle Monaghan, Adam Sandler, Josh Gad, Peter Dinklage

Logo após Sam se tornar vice campeão Mundial de vídeo games, o filme viaja para o nosso presente. Os seres humanos, em  1982, enviaram uma sonda para o espaço, com traços de nossa cultura, para que caso alguma civilização a encontre, eles possam fazer contato conosco, e dentre esses traços enviados, lá estavam os vídeo games.

Após encontrar a sonda, os ETs pegam os nosso vídeo games e os interpretam como um desafio de guerra, e partem para guerrear conosco. A partir desta parte o filme se desenrola com a invasão alienígena a terra, e com nossos heróis lutando para salvá-la.

Referências, um pouco mais de Referências, e por fim, mais referências 


Rapidamente a sala de cinema transforma-se em um mar de memoráveis partidas nos clássicos fliperamas em uma tarde com os amigos. O filme trás muitas, mais muitas referências a vários clássicos e games que marcaram época na década de 80, como Galaga, Breakout, Centipede, Duck Hunt, Paperboy, Tetris, Pac-Man, Q*bert e o Rei dos clássicos Donkey Kong.

Sem dúvidas uma das melhores cenas do filme

O filme é repleto de piadinhas e referências a games espalhados quase que imperceptivelmente pelo cenário. Por exemplo, antes do Pac-Man atacar a Terra, todos estão reunidos em um salão de festas, logo atrás da banda, temos um discreto painel que representa as peças do game Tetris, as mesas brancas e acesas também presentes no local fazem referência ao game. Quanto as piadas, elas trazem o estilo sutil e natural do Adam Sandler, sempre mantendo as referências aos games presentes no filme, como na parte onde o Ludlow Lamonsoff (Josh Gad) fica bem perto do Sam e ele diz: "chega para-lá, você está invadindo o meu espaço", uma referência clara ao game Galaga presente no filme.

É um ótimo filme para se ver com crianças, pois o filme não tem nem um pouco de cenas pesadas, e mostra para atual geração um pouco do que era a época de ouro dos vídeo games.

Provando que gamers não são fracassados


Uma das tarefas principais do filme, se mostra ser a quebra do estigma que temos atualmente em nossa sociedade, a de que os gamers (principalmente os mais velhos) são fracassados e pessoas sem futuro. Isto é retratado principalmente por Sam, que quando criança se mostrava muito bom em jogar vídeo games, e quando ele se torna adulto, o filme o retrata como um simples técnico que se quer consegue arranjar uma parceira, já seu amigo Will, que não era tão bom nos games, acaba por se tornar presidente dos EUA. 

Como já era de se esperar, todas as pessoas "normais" e não gamers, são obrigadas a pedir ajuda aos gamers até então "fracassados", como unica salvação para o nosso Planeta. É nesta parte que a reviravolta acontece, e os nossos amigos se tornam os heróis da humanidade, invertendo totalmente os papeis, mostrando que sim, os games não servem apenas como entretenimento, mas também, como uma forma de treinarmos nosso cérebro com raciocínios lógicos e treinarmos os nossos reflexos.

Efeitos gráficos e pixels por todos os lados

Q*bert, o mascote mais fofo de todos

O que particularmente me chamou bastante a atenção, foi a forma que os personagens, basicamente todos da era dos 8-bit, foram retratados em um completo 3D pixelado, moldado e articulado com cuidado, mantendo as principais características e carismas dos games presentes no filme.

O diretor Chris Columbus, felizmente, pareceu ser muito cuidadoso ao abordar um tema tão controverso e delicado para nós gamers, que são os filmes retratados com temática de jogos. Tudo parece ser bem estruturado e pensado, para que todos os lados saiam ganhando, tanto os gamers, quanto as pessoas que não jogam, mas que queriam ver um filme bacana com personagens divertidos e carismáticos.

"Deixa que eu falo com ele, ele é meu filho", disse o pai do Pac-Man, Toru Iwatani, momentos antes de perder a sua mão. 

O criador do famoso come-come, da as caras no filme para tentar ajudar a parar a terrível ameaça amarela, que está devorando Nova York, eles conseguem, mas Iwatani acaba perdendo a sua mão por confiar no instinto do monstro. A presença de Iwatani no filme, trás um ar todo especial para os gamers, ao sentirem que não é apenas mais um filme com a temática gamer, mas sim um filme com um dos maiores mestre dos jogos.

Cena em que Toru Iwatani perde a sua mão

Um final suave e divertido com o "Macacão"


A batalha que decidirá o destino da humanidade se inicia, o objetivo dos humanos é nada mais nada menos que entrar na nave dos ETs para desligar tudo, direto da fonte. Chegando na nave eles dão de cara com o "chefão", o temido Donkey Kong. Os atores entram rapidamente na fase, retratando o clássico game do Macacão, onde eles encarnam diretamente a pele do clássico Jumpman (mais conhecido atualmente como Mario). Como é de se esperar, os atores vencem com dificuldade o estágio, derrotam os ETs e salvam a Terra da destruição.

Taca lhe barril neles!

Críticas pesadas dos que não entendem


Muitas pessoas tem criticado o filme, pelo visível fato de não conhecer do que se trata. As pessoas esquecem que sim, ele é um filme de comédia, mas sua temática principal são os games, games estes que a GRANDE MAIORIA das pessoas que foram assistir ao filme não conhecia. Longe de mim querer dizer que o filme é perfeito, não é isto, mas o filme de longe, se mostra ser uma das melhores adaptações dos games para o cinema.

Dificilmente veremos clássicos como Tetris, Duck Hunt e Paperboy juntos em um filme, e Pixels, trás exatamente os melhores jogos dos arcades direto para a telona. Para quem entende e conhece o universo gamer, o filme se torna um mar de referências e piadas intuitivas.

Veredito Final



Em minha singela opinião, o filme peca apenas em um ponto, temos poucas músicas em 8-bit, mas em troca temos belos temas de Rock dos anos 80 tocando nas melhores partes (uma troca quase que justa).

Cumprindo seu papel com maestria, Pixels com certeza será um daqueles filmes, que você verá por várias vezes sem se cansar, e sem dúvida é um dos melhores filmes com temáticas gamers já feito.

Prepare-se para ser pego de boca aberta ao admirar as batalhas, ou se sentir um super gamer ao identificar o Jumpman correndo por 2 rápidos segundos durante a ultima batalha do filme. Pixels sem sombra de dúvidas merece uma sequência, que para nós, apaixonados por games, seria algo maravilhoso, e sem sombra de dúvidas, o filme cumpre seu papel com maestria.

Notas:

Visual: 10/10
Trilha sonora: 9/10
História: 10/10
Carisma: 10/10

Nota Final: 9,8

Não se esqueça de deixar sua opinião nos comentários, sem haterismo e analisando o filme, nos diga o que você achou, até a próxima!
Facebook
1
Google
 
Top