Nas minhas últimas introduções aqui no Papo de Gamer, normalmente eu incluo alguma notícia prévia ou algo que tenha circulado com mais frequência na última semana. Mas dessa vez eu vou por um outro caminho, um desabafo se preferirem: tem sido cada vez mais difícil acompanhar comentários em notícias não apenas de games, mas de cinema, quadrinhos ou até mesmo de outros meios não relacionados à cultura pop. Poderia citar os vários discursos de ódio, mas isso é assunto para (talvez) outro dia, já que o título da coluna diz o suficiente qual a minha razão.
Convenhamos, Jared Leto é um cara que gosta de causar.

É cada vez mais frequente os comentários inflamados sobre diversos assuntos que envolvem a cultura pop nos últimos tempos. Da imagem polêmica do novo Coringa dos cinemas, às mudanças quase drásticas nos quadrinhos Marvel. E no caso da Nintendo, todos os boatos sobre o NX. Os três exemplos, embora muito diferentes em mídias, compartilham algo em comum: todos são relacionados a produtos que ainda não saíram. Esquadrão Suicida estreia apenas em 2016, a nova onda de quadrinhos da Marvel em Agosto, e as novidades reais sobre o NX serão dadas em 2016.

Em suma, a boataria tem se tornado cada vez mais intensa, assim como os comentários absurdos que impedem uma discussão saudável. E é sobre isso que discutiremos hoje.

A época do "Agora e para já"


Tem algo que realmente me incomoda nesses "tempos modernos". Basta um pouco de observação para reparar como a vida e a velocidade de informações anda estupidamente rápida. E se por um lado é bom para nos manter ativos, por outro a ansiedade se torna um problema bem mais frequente.

Vejamos no caso do Nintendo NX. Apesar do anúncio indicar algo inteiramente novo em termos de hardware, a mídia e o público tem sido categóricos sobre o enterro do Wii U, simplesmente declarando que ele não "serve mais", "foi um fracasso", etc. Quanto ao fracasso de vendas, é verdade. Mas que ele não tem uma biblioteca de jogos ou que ele não serve, é uma outra questão.

É tão inaceitável assim que a Nintendo não opte com pirataria
a ponto de negligenciar tantos jogos bons?
Olhando em retrocesso, houve um caso similar na Nintendo. O Game Cube é visto por muitos hoje em dia com bons olhos pela biblioteca fantástica de jogos em seu acervo. É só fazer uma rápida pesquisa para analisar a lista surpreendente de títulos. Mas o que teria acarretado em seu fracasso enquanto vendas? Segundo os analistas, a forte política da Nintendo contrária a pirataria, algo não tão forte nos seus rivais Playstation 2 e Xbox.


Ao anunciarem o seu novo o "que-quer-que-seja" NX, já se considera o atual um fracasso, ou ultrapassado. Não serei negligente quanto as inferioridades do Wii U em relação aos demais consoles da geração atual. Mas excluir algo porque ele não é "igual aos outros" me faz pensar que o público gamer tem se tornado cada vez mais parecido com as turminhas de colégio que excluíam outras pessoas por não terem os mesmos gostos.

"Acredito em Tudo. Até no Contraditório."


Ainda falando do NX, existem muitas especulações sobre como a plataforma será. Seu preço,  o game de lançamento, sua potência, sobre o apoio das Thirdies, etc. Isso tudo... Baseado em nada. Quanto aos rumores, talvez o mais interessante - pelos dados anteriores divulgados - é sobre o possível Diddy Kong Race 2 como jogo de lançamento da plataforma.

Em outros tempos eu talvez não ficasse tão incomodado. Dizem que um dos prazeres dos nerds é justamente especular e formular ideias de como suas obras favoritas poderiam ou deveriam ser. Alguns colocam a mão na massa e fazem alguma coisa, despertando um potencial latente para a criatividade.

Mas o que mais tenho percebido é como essas especulações tem mais servido como uma ferramenta de alienação do que um lampejo para questionamentos. Ao ouvirem um rumor, que mais parecem histórias de pescador do que verdades escondidas, opiniões extremas são dadas sem direito a questionamentos, o já famoso "É UM LIXO!" ou "É PERFEITO". E coitados dos que vão contra a maioria...

A Virtude que faz Falta


É divertido fazer teorias e pensar no "e se" de maneira a incentivar a criatividade. Eu mesmo fiz algo do tipo por aqui, e pretendo ir mais a fundo enquanto redator. Em breve vocês verão. Mas o que tem faltado para os fãs da Nintendo, da Sony, da Microsoft, da Marvel, da DC e de qualquer outro amante de qualquer empresa ou marca da cultura pop é paciência, e lembrar de algo muito importante: nada disso define a sua vida.

A melhor maneira de mostrar sua insatisfação com um produto é não comprando. Precisa mesmo de uma petição pra cancelamento?

Você pode gostar, não gostar, parabenizar, ou reclamar daquilo que acompanha, é um direito e uma escolha sua. Mas deixar que essas questões alcancem o nível digno de uma inquisição medieval, época em que meros boatos resultavam em mortes de inocentes que sequer podiam se defender de calúnias, é de se pensar quanto a maneira que se leva a vida.

E para provar que isso não é um exagero meu, e só ver os casos de desenvolvedores ameaçados de morte porque um maldito personagem não está num jogo, ou de um hacker decidiu se infiltrar numa produtora para saber quais são seus novos projetos e divulgá-los internet a fora.

Há alguns anos atrás, a piadinha do "xingar muito no Twitter" era engraçada. Hoje ela é uma realidade cada vez mais sem graça.
Facebook
0
Google
 
Top