Há um tempo atrás, ficamos sabendo que rumores de que Hideo Kojima estava saindo da Konami. No mesmo período, fontes da empresa também revelaram que a equipe que estava desenvolvendo Metal Gear Solid V estava tendo seus servidores cortados pela própria Konami e ficaram sem acesso à Internet durante semanas, porém, parece que tem bem mais sujeira embaixo desse tapete do que nós imaginávamos.

De acordo com um relatório do Nikkei, que é um importante jornal japonês, a Konami tem se tornado bastante assustadora nos últimos anos, e tem novas políticas bem repressoras.

Segundo o jornal, as mudanças começaram a surgir em 2010, depois do sucesso do jogo mobile Dragon Collection. Como se trata de um jogo mobile, a empresa não precisou investir muito nele, mas teve um lucro enorme, então a diretoria da empresa passou então a querer se focar em jogos para smartphones e tablets, tirando o foco dos consoles e PCs.

E então, tudo mudou. A Kojima Productions se tornou Number 8 Production Department, e os computadores nesse setor da empresa só podem se comunicar internamente. Segundo a reportagem, isso pode ter acontecido porque Metal Gear Solid V teve um custo muito elevado para a empresa, que já havia gastado cerca de 80 milhões de dólares com o game até Abril desse ano.

O jornal  também diz que funcionários que saem para almoçar são controlados através de um cartão, que verifica quanto tempo eles demoram no almoço. Se você passa muito tempo almoçando, é notificado através de um alto-falante para toda a companhia, no intuito de fazer aquele funcionário passar vergonha. Segundo eles, as câmeras nos corredores da empresa não são para segurança, e sim para monitorar os funcionários.

Além disso, os funcionários não possuem e-mails corporativos. Apenas aqueles que precisam disso, como representantes da empresa e pessoas do departamento de marketing. Todos os outros funcionários tem e-mails aleatórios que são alterados de tempos em tempos e usados até pelas mesmas pessoas.

Os desenvolvedores que são vistos como inúteis pela empresa, passam então trabalhar na segurança e até na faxina, e também em fábricas de pachinko. Confirmando isso, há uma matéria no jornal Asahi News de 2013, onde um desenvolvedor da Konami que não quis relevar seu nome, disse que foi transferido para uma dessas fábricas e então entrou em um depressão profunda. 

Esse mesmo funcionário, anunciou em seu Facebook quando se demitiu da empresa, e então, todas as pessoas que curtiram o post e que trabalhavam para a Konami, tiveram seus cargos alterados dentro da companhia.

A Konami ainda não se pronunciou sobre a matéria divulgada pelo Nikkei.

Facebook
0
Google
 
Top