Dentre uma das características da Nintendo, a inovação se destaca de forma bem acentuada. Criar novos jogos e consoles que se diferenciam da concorrência é algo corajoso e muitas vezes o resultado não é o esperado. Ignorando os riscos, a Big N mete o pé na porta e cria a plataforma que bem entende, da forma que acredita ser o melhor em experiência de games. 

Um console que se destacou, entrou nos corações do público e inovou no mundo dos jogos foi o Nintendo DS. O portátil com segunda tela criou um novo conceito de jogar video-game e ampliou os horizontes na criação de jogos. Hoje, a nossa Máquina do Tempo vai viajar para a época do portátil e rever um dos jogos que utilizou melhor a segunda tela e inovou dentro do próprio estilo de jogo.

Vamos inovar


The World Ends with You iniciou sua construção em 2005 e levou dois anos para ser projetado. A ideia do game surgiu com a notícia do lançamento do Nintendo DS. A super consagrada Square Enix vinha do trabalho feito no jogo para GameBoy Advance Kingdom Hearts: Chains of Memory e decidiu que queria trabalhar no novo portátil da Nintendo. Eles participaram do evento "Touch DS", no final de 2004, onde foi apresentado o console e as desenvolvedoras poderiam experimentar as novidades do DS e decidir quais rumos tomar na criação de jogos.

Encantados com as novidades, a Square, em conjunto com a desenvolvedora Jupiter, decidiu que iria fazer algo semelhante a Chains of Memory, com o sistema de cartas na touch screen e as batalhas na tela de cima. Os desenvolvedores gostaram tanto do novo sistema, que queriam produzir um jogo que só pudesse ser jogado no Nintendo DS, pois só assim a experiência seria completa. O problema é que a empolgação foi tanta, que eles estavam esquecendo a tela de cima e focando totalmente na tela de toque. Para resolver esse problema, decidiram criar o sistema duplo de batalha, o que trouxe ainda mais inovação para o jogo.

Desde o início da construção do jogo a meta era fazer algo único. Para isso, decidiram que o jogo seria ambientado em uma localização real. A princípio, era para ser em vários locais do mundo alternando os momentos e países diferentes. Depois, com a temática mais definida, ficou decidido que o jogo seria fixado em Shibuya, um bairro superlotado e famoso de Tóquio, principalmente pelos frequentadores, que são mais jovens e modernos. Também é muito conhecida pela história do cachorro Hachiko, que frequentava a estação de trem do bairro, à espera do dono, sem saber que ele havia morrido. 

O sistema de broches veio da adaptação de outra ideia. Os desenvolvedores queriam fazer um método de poderes a partir dos grafitis da cidade, mas como seria muito complicado de desenvolver no portátil, decidiram modificar para os broches. E mesmo que a capacidade gráfica do DS permitisse um visual em 3D dimensões, foi escolhido pela equipe uma modelagem em duas dimensões, mas de forma mais angulada, o que deixaria o jogo mais interessante e diferenciaria dos outros jogos já consagrados da Square Enix.

Vida e morte em Shibuya


A história de The World Ends with You começa de maneira inusitada. Temos o personagem Neku Sakuraba. Ele é um adolescente que estava desacordado e fica sem entender o que está acontecendo. Ele é tem a personalidade mais resguardada, um pouco mal-humorada e antissocial. Ele está em Shibuya, o local está lotado, mas ninguém consegue ouvi-lo. Além disso, ele encontra consigo um broche com um símbolo de caveira, e percebe que consegue ler a mente das pessoas. Neku, na verdade, está morto e preso em uma dimensão paralela, chamada de Underground. Todas as pessoas que estão vivas se encontram no Realground, e não enxergam e nem ouvem os habitantes do Underground.

Logo Neku é atacado por sapos, e tem que fugir, sem saber o que fazer. Ele acaba encontrando uma garota, chamada Shiki, que diz que eles precisam fazer um pacto com urgência se não vão perder o "Reaper's Game" e desaparecer completamente. Ele aceita e consegue combater os sapos, que são chamados de Noises. Ele recebe um broche com o símbolo de uma chama e aprende a usar poderes de fogo. Shiki revela que como participantes do jogo, eles devem competir durante uma semana, agindo em provas antes que o tempo acabe (mostrado em um contador na própria mão), pois se acabar, o jogador é apagado.
Com o tempo, Neku descobre mais sobre o jogo, onde existe o Criador, uma entidade divina que mantém o plano espiritual em funcionamento e criou o jogo, os Ceifadores, que são os oponentes dos jogadores e os Anjos, que supervisionam o jogo. Ele se junta com mais dois companheiros, em semanas alternadas, jogando em parceria com Joshua e Beat. Na segunda semana, depois de sobreviver aos desafios com Shiki, ele joga com Joshua que se sacrifica para salvar Neku de uma bomba jogada pelo Ceifador Minamimoto (na segunda semana, Neku acredita que ele tenha sido morto por este Ceifador). 

Joshua e Neku quebraram as regras do jogo e por isso, Neku tem que jogar mais uma vez, só que sem parceria. Jogando sozinho, ele não tem como lutar e com certeza iria ser derrotado. Por isso, o Ceifador Beat deserta e se torna parceiro de Neku. Eles encontram Ceifadores e toda a população de Shibuya com broches vermelhos especiais, que influenciavam todos a pensar harmoniosamente. Eles descobrem que os broches foram feitos pelo Condutor do jogo e que se ele não conseguisse fazê-los, o Criador iria apagar toda Shibuya.

Joshua então aparece, revelando ser o próprio Criador do Reaper's Game. Ele recupera a memória de Neku e o protagonista lembra que foi Joshua quem atirou nele e que Minamimoto estava tentando matar Joshua para se tornar o novo Criador. Joshua revela que usou Neku como uma peça de um jogo para decidir se Shibuya iria ser apagada ou não. O Criador então dá um último desafio para Neku: quem atirar primeiro um no outro ganha e decide o destino de Shibuya. Neku fica com muita raiva da traição de Joshua, mas acaba abaixando a arma e não atira. A cena seguinte mostra Neku caindo e a arma de Joshua fumegando. 

O jogo termina com o Neku acordando em Shibuya, confuso. Os créditos sobem e junto com eles as cenas do encontro de Neku com seus amigos Beat, Rhyme e Shiki. Nos relatórios secretos revelados após completar o jogo é informado que Joshua decide poupar Shibuya depois de perceber que a mudança de personalidade de Neku e dos habitantes foi muito boa o distrito é o ideal agora.

Complicado, mas não tanto


O game é um rpg de ação passado em 3 capítulos, que são as 3 semanas do protagonista no jogo. O jogador precisa explorar Shibuya juntamente com o parceiro da semana para completar as missões impostas pelo jogo. O sistema de batalhas duplo coloca Neku na tela de baixo e o personagem aliado na tela de cima. Na parte de baixo, os golpes são acionados de acordo com a caneta stylus, enquanto a batalha na tela superior deve ser comandada pelos direcionais.

O personagem de cima não tem movmentação e fica vulnerável aos golpes dos Noises, enquanto Neku pode se movimentar tracionando os movimentos através da caneta. Os combos se devem a partir de uma sequencia correta das setas ou do traçado da caneta e também estão interligados entre as duas telas.

Além disso, existe o sistema de broches que ativam os poderes psíquicos de Neku. Ao todo são 300 broches, com poderes diferentes, que variam desde arremessar objetos (é possível atirar carros nos inimigos) até soltar fogo ou raios. Tudo isso é feito pelo traço da stylus, fazendo linhas horizontais, verticais e círculos ou arrastando e jogando os objetos. Existe também um golpe que pode ser utilizado ao gritar no microfone do DS, mas que deve ser utilizado com cuidado, pois deixa tudo distorcido.
Os broches e os heróis evoluem com o decorrer da utilização e da experiência adquirida em batalha. Além das batalhas, é possível escutar o pensamento das pessoas e influencia-las colocando ideias nas mentes delas. Como um bom RPG, o jogador deve controlar o seu equipamento para melhorar os personagens e se manter mais forte. Vale lembrar, que como a parceria é feita através de um pacto, o nível de vida é dividido por ambos os personagens.

Café japonês


  • Para representar bem Shibuya, os desenvolvedores foram tirar fotos dos locais mais conhecidos. Visitaram diversos lugares e subiram no topo de prédios sem a autorização dos donos; 
  • A cidade de Shibuya foi duplicada, mas com os nomes das lojas diferentes; 
  • A torre comercial do "Departament 109" recebeu o nome de "104 Building" e o Starbucks local de "Outback Café"; 
  • Com o sucesso do jogo, as pessoas levavam o seu Nintendo DS para comparar os locais do game com os de verdade; 
  • A trilha sonora foi composta numa combinação dos estilos rock, hip hop e eletrônico, para representar a tendência do bairro; 
  • Os personagens principais reaparecem no jogo Kingdom Hearts 3D: Dream Drop Distance. 
  • A tela final do jogo aparece com o nome "The World Begins with you". 

A verdadeira cidade de Shibuya

O mundo começa com você


The World Ends with you é um jogo diferente da maioria. Mesmo que siga o estilo de RPG de ação, ele não segue os padrões estabelecidos. O sistema de batalha exclusivo no portátil DS é um desafio que pode atrapalhar no início do jogo, mas que com o andar da carruagem, ele acaba sendo compreendido e a dinâmica se torna muito agradável.

A história insere o jogador de forma brusca, para exaltar a urgência e a velocidade que existem em Tóquio. A capital está muito bem desenhada e planejada dentro do jogo. Podemos comparar com os pontos existentes e a representação no jogo e vamos perceber que é muito fiel.

Jogar um RPG é algo que atrai um público específico, tem que ter mais paciência para evoluir, desenrolar o enredo e se manter até o final. Esse game consegue atrair o público por inúmeros motivos, não só pelo bom RPG de ação que é. As funcionalidades da tela de toque são muito bem exploradas, mesmo que ocorram alguns erros durante o gameplay, ele não fica prejudicado.

Os gráficos estão muito bem trabalhados, com estilo de quadrinhos e a trilha sonora acompanhando perfeitamente o clima da juventude do Japão. É um jogo excelente para os apreciadores do bom RPG de ação japonês e também para aqueles que estão loucos para um bom desafio e para usar as funcionalidades do Nintendo DS.
Facebook
0
Google
 
Top