É normal em posts dos dias dos pais na blogosfera a fora falarmos da importância dos nossos velhos em nossa criação, da admiração ou ao menos do respeito que temos por nossas figuras paternas, sejam elas quais forem. E você também sabe que não precisa contar com um único dia do ano para demonstrar esses afetos, certo?

No Papo de Gamer de hoje, não vamos falar diretamente dos games, dos pais que marcaram história na Nintendo, etc. Vou propor um exercício diferente, que acredito no final dará mais noção da responsabilidade de ser um pai.

Tudo aqui é um mera especulação, certo? Ainda não sou pai, mas está nos planos (no futuro, bem no futuro...). A ideia aqui é se colocar na posição de um pai, e quem sabe ter algumas noções da paternidade.

Quando Pai e Filho são bem diferentes

Nem todos os pais tem os mesmos gostos que os nossos. Na certa, você já deve ter visto em pelo menos uma ocasião o seu pai fazer uma cara estranha enquanto você jogava seu Super Nintendo, Game Cube ou Wii. Se bem que, no caso do Wii, talvez nem tanto... Mas enfim.

Você, enquanto filho, pode se frustrar quando seu velho não entende o quanto Mario pode ser divertido, Zelda ser inspirador, ou F-Zero ser intenso. Mas pense daqui pra frente: da mesma forma que a infância dele foi cercada de determinadas atividades, a sua também. É bem possível que seu filho ache o Mario sem graça, Zelda ultrapassado, e F-Zero... Bem, se ele voltar pode ser uma boa porta de entrada para os desafios áureos de sua geração.

Meus parabéns a quem
fez essa tirinha =)
A questão toda é a seguinte: nem sempre os pais tem os mesmos gostos dos filhos. Na verdade, nessas últimas gerações é mais comum que nós sigamos nosso próprio caminho com alguns dos ensinamentos dos velhos, mas não os mesmos passos. E não há nada de errado nisso por dois motivos. Primeiro, a maior realização de um pai é ver seu filho capaz de andar pelas próprias pernas. E segundo, sempre ter a chance de compartilhar momentos que os dois entendam, muito além de preferências pessoais. Assim, você não se incomoda de ver o pai em seu hobby favorito, ou dele ver você jogar.


Quando Pai e Filho dividem gostos

Pais gamers são mais frequentes hoje em dia. Sejam aqueles iniciados pelos filhos, ou já com essa prática antes dos pequenos crescerem, dividir os controles com os filhos pode ser uma atividade sadia e de um aprendizado único. Pode não parecer, mas mesmo os games mais simples em propostas ensinam algo individualmente e em conjunto.

E aqui está um tipo de aprendizado especial. São em jogos de luta e corrida que você testa a competitividade dos filhos. São em mini-games você nota a criatividade dos pequenos, e nos puzzles e games de estratégia o seu senso de abstração, estratégia e raciocínio. E nas tramas mais elaboradas a sensibilidade em entender os pontos mais sutis de uma boa história.

Sim, é verdade que tudo isso pode ser um pouco fantasioso e até exagerado. Mas pense que essas nuances são sentidas nos pequenos detalhes, e na falta de compromisso em realizá-los,. Porém, uma vez percebidos, é possível ajudar os pequenos a entender na prática (ou você entender por si mesmo quando eles já praticam) aquela frase que os melhores jogadores gostam de dizer:

"Gamer que é gamer melhora a cada Game Over".


Quando Pai e Filho são mais amigos do que parentes


De verdade, não é tão bonitinho assim.
Mas a intenção é essa.
Porque não? Afinal, mesmo "sangue do seu sangue", um filho e um pai ainda são seres humanos normais, com virtudes normais, e defeitos normais. Assim como cada um tem seus segredos com outras pessoas, pais e filhos podem dividir suas alegrias e tristezas, construindo assim laços verdadeiros.



Nem um pouco diferente de uma amizade, certo? Tente sair um pouco da hierarquia de "pai acima, filho abaixo". A relação será muito mais profunda, e assim como os melhores amigos, inesquecíveis.

Você não precisa de uma data para celebrar com o seu pai


Pode parecer estranho dar esse tipo de opinião em pleno dia dos pais (ou melhor, no final dele pela hora que o post está no ar), mas quando se há uma convivência constante, em conflitos e vitórias, os laços não precisam ser lembrados que existem. Apenas... existem.

Esse game foi responsável por uma das histórias mais bonitas de pai e filho.

Se você busca isso como um pai, não tenha dúvidas de que será uma experiência valiosa. E mesmo um pouquinho tarde, um feliz dia dos pais.
Facebook
0
Google
 
Top