Muitos jogos se tornam clássicos sem que o grande público tenha conhecimento do jogo. Isso aconteceu diversas vezes no Game Cube, um console excelente, mas que por diversos motivos não caiu nas graças dos jogadores. Grandes games vieram para esse console e hoje a nossa Máquina do Tempo vai trazer um que foge do estilo que a Nintendo está acostumada a trazer.

O Canada, we stand on guard for thee


Eternal Darkness foi desenvolvido pela empresa canadense Silicon Knights e lançado no ano de 2002 para o Game Cube. Mas a produção dele teve início muitos anos antes, pois em 1999 ele foi revelado na E3 como um jogo para o console Nintendo 64. A proposta dos criadores era fazer um jogo que seguisse a linha do terror, mas não se encaixar nos costumeiros “survival horror” que estavam na moda.

Com essa ideia em mente, o estilo de filme “suspense psicológico” foi introduzido ao jogo, diferentemente do que os criadores consideravam como “Filmes-B” existentes no famoso Resident Evil. Além disso, o diretor do jogo Denis Dyack disse que se inspirou em diversos jogos que estavam “mexendo com a cabeça das pessoas” e pensou que eles também poderiam fazer a mesma coisa.

Depois de revelado na E3, o game foi adiado e teve seus planos mudados para o próximo console da Nintendo, o Game Cube. A produção estava andando dentro dos conformes, mas algo inesperado ocorreu. Devido ao ataque do 11 de setembro, os desenvolvedores decidiram mudar diversas fases do jogo, pois elas estavam localizadas no mundo árabe. A empresa acreditava que as pessoas ainda não estavam preparadas para encarar algo do tipo.

Finalmente, em 2002, o jogo foi lançado. Como a empresa já havia trabalhado em Metal Gear Solid: The Twin Snakes, podemos perceber que algumas vozes desse jogo se repetiram em Eternal Darnkess. Atores como Cam Clarke, Kim Mai Guest, Greg Eagles, Paul Eiding e David Hayter estavam no jogo. Além deles, Jennifer Hale, famosa dubladora canadense e que dublou Samus Aran na trilogia Metroid Prime, também estava presente.

Toda a trilha sonora do jogo foi desenvolvida por Steve Henifin, um dos compositores da Silicon Knights. Um CD foi lançado, mas só poderia ser adquirido através da compra da revista Nintendo Power. Quatorze músicas foram compostas, sendo a maioria delas extensões da própria trilha dentro do jogo.

Milhões de anos em 13


O enredo do jogo se desenrola em quatro pontos principais, sendo eles: a cidade proibida na Persia, um templo cambojano em Angkor Thom, a catedral de Notre-Dame em Amiens, na França e na mansão da família Roivas, localizada na cidade em ruínas, Ehn'gha, em Rhode Island, Estados Unidos. O jogo viaja no tempo, voltando e avançando de acordo com o capítulo que  o jogador está.

A história gira em torno de Alexandra Roivas, que está investigando o assassinato de sua avô, Edward Roivas. Enquanto ela explorava a sua mansão em Rhode Island, ela descobriu uma sala secreta que continha alguns itens bizarros. Entre eles está um livro envolto por pele humana e e ossos. Quando Alexandra lê o livro, que tem o título de The Tome of Eternal Darkness, ela vivencia experiências que aconteceram na vida de Pious Augustus, um comandante militar romano no século 26 BC.

Pious é liderado por vozes misteriosas que o levam até um templo subterrâneo, onde ele escolhe um artefato misterioso, dentre três. Isso faz com que ele se transforme em um feiticeiro morto-vivo, o Lich, e um escravo dos três Anciões. Eles são poderosos seres divinos que têm suas essências encarnadas como artefatos. Com o desenrolar da história, fica evidente que Pious está tentando invocar o Ancião que o tomou como escravo. Enquanto isso, um quarto ancião, conhecido como “Corpse God” Mantarok, responsável pelo equilibrio dos três poderosos anciãos, está tentando impedir isso de acontecer. Se ele não obtiver sucesso, as vidas e as almas dos seres vivos cairão em sofrimento e o universo será lançado no horror e na escuridão eterna.

Depois de presenciar isso, Alex encontra mais capítulos do livro acaba revivendo experiências de uma série de pessoas, alguns sendo servos de Pious, enquanto outros eram escravos dos Anciões. Ela se vê em histórias que atravessam séculos e passam por épocas bastante distintas e também acaba entrando em contato com o próprio Tome. A maioria desses indivíduos que ela presencia as passagens, acabam por ter destinos sinistros, mas também é perceptivel que as ações deles colaboraram para que Alex conseguisse as essências restantes que ainda estão na mansão. Um dos próprios ancestrais dela descobriu a cidade deserta de Ehn'gha e um mecanismo mágico na cidade, que está localizada abaixo da mansão Roivas. Alex utiliza as essências que coletou durante sua jornada para ativar o mecanismo e invocar o Ancião rival de Pious para lutar contra ele. 

Enquanto os dois Anciões lutam, Alex entra em combate com o próprio Pious com a ajuda dos espíritos que foram vítimas do Liche. Ela consegue destruir a essência do Ancião maligno e mata Pious. Eles acabam percebendo que invocaram um espírito ancião muito poderoso para a Terra e isso poderia causar diversas catástrofes. Rapidamente o espírito de Edward usa o mecanismo de Ehn'gha e manda o Ancião de volta para onde ele veio. Edward expressa o seu orgulho pela neta e depois desaparece.

Targeting insano


O game Eternal Darkness toma vida com a personagem Alex Roivas. Mas ao longo da história, ela vai vivenciando experiências de outras pessoas e o jogador é quem controla essas pessoas. O jogador segue esse desenrolar com a visão em terceira pessoa dos personagens em um gráfico 3D bem trabalhado. O jogo de gênero ação/aventura se baseia na resolução quebra-cabeças em meio a um clima de suspense e terror. Para aumentar essa sensação sombria o jogo criou o efeito único chamado “Sanity Effects”.

A jogabilidade é simples, com controles fáceis de utilizar. Com o D-pad é possível utilizar atalhos para as magias escolhidas, sem precisar pausar o jogo cada vez que quiser usar novamente. Além dos outros botões que servem para esgueirar-se, manipular os itens do inventário, e combater inimigos, que é feito através de sistema de targeting. 

Existem três barras de medição para controlar os níveis do personagem. Um deles é a de vida, que diminui a partir do dano tomado pelos inimigos. O outro é de mágica, que é gasto de acordo com a quantidade que cada magia necessita para ser usada. O último é o medidor de sanidade, que cai cada vez que os inimigos descobrem sobre a presença do jogador e alerta a outros inimigos. Cada um dos personagens tem níveis diferentes de medidas.

O jogo tem um formato bastante similar a Resident Evil, mas com detalhes sutis que mostram o trabalho dos desenvolvedores. O mais importante deles é a barra de sanidade, que cria a sensação de urgência ao jogador. Quanto mais baixa, o jogador começa a sentir os efeitos, como alucinações, a tela do jogo começa a tremer e por fim o personagem fica louco.

Além disso, as diferenças de linhas de tempo, que ficam indo e retornando fizeram do jogo um clássico cult. As decisões que o jogador tomar podem afetar no curso da história. Existem três caminhos diferentes que os personagens podem chegar, de acordo com ações tomadas e escolhas referentes aos anciões.

Que patente é essa?


  • Eternal Darkens está no livro "1001 Video games para jogar antes de morrer";
  • Eternal Darkness: Sanity's Requiem é o primeiro jogo a ser desenvolvido totalmente por uma desenvolvedora canadense, dentro Canadá, e publicado pela Nintendo Of Canada. Como resultado, foi lançado no Canadá dois dias antes dos EUA;
  • Também foi o primeiro jogo publicado pela Nintendo, com uma third-party, que teve o limite de idade M (Mature);
  • No roteiro original do jogo, estava prevista a presença de Joseph De Molay, um dos Cavaleiros Templários;
  • O jogo tem 40 efeitos únicos de insanidade;
  • Os desenvolvedores beberam de várias inspirações, como os escritores Edgar Allan Poe e H.P Lovecraft;
  • O sobrenome Roivas ao contrário é Savior, que tem o siginificado de “salvador” ou “redentor”;
  • Os efeitos de sanidade que são usados neste jogo foram tão revolucionários que a Nintendo chegou a patentear o nome "Video game Insanity”;
  • O game também reconhecido por quebrar a “quarta parede”. Isso acontece quando o personagem tenta "ler a mente do jogador" (que consiste em ler o conteúdo do cartão de memória do sistema);
  • A tradução do título japonês para o Inglês é "Eternal Darkness: O Chamado de 13 pessoas";
  • Em Metal Gear Solid: The Twin Snakes, durante a luta contra o chefão Psycho Mantis, ele utiliza seus poderes psíquicos para inclinar a sala em que o jogador se encontra. Isso é uma referência aos sanity effects de Eternal Darkness, já que ambos foram criados pela Silicon Knights.

Insanidade é algo que está dentro da sua cabeça


Jogue antes que você fique louco


A crítica especializada e os jogadores que compraram o jogo simplesmente o adoraram. As notas ficaram com média 9, algo muito difícil de conseguir, mas as vendas não foram boas, tendo vendido menos de meio milhão de unidades no mundo todo.

Eternal Darkness traz um estilo de jogo interessante, com um enredo complexo e grande. As viagens no tempo feitas pela personagem principal e a possibilidade de jogar com os personagens que ela está vendo faz dele um excelente jogo. Não é fácil organizar as ideias e criar uma história assim e fazer com que ela seja divertida e atraente.

O estilo de suspense cria um charme a mais para o jogo, com uma trilha sonora intensa, que insere o jogador dentro dele, fazendo ele não parar de jogar. Os controles descomplicados fazem tudo ficar melhor e o jogador pode aproveitar ainda mais esse game de grande qualidade.
Facebook
0
Google
 
Top