A época em que a Rare funcionava em harmonia com a Nintendo foi simplesmente espetacular. Dessa parceria, diversos jogos surgiram e se tornaram grandes marcos da empresa. Infelizmente, a Big N vendeu a empresa e, junto com ela, a possibilidade de novos jogos desse calibre serem criados. Mas nada impede a nossa Máquina do Tempo de visitar esses dias maravilhosos e relembrar o grande Jet Force Gemini.

Desbravando o espaço


Liderado por Paul Mountain, que já havia trabalhado em Diddy Kong Racing, o desenvolvimento começou no ano de 1997. A equipe da Rare que estava trabalhando no projeto era a mesma que criou o jogo Blast Corps. Jet Force Gemini teve inspiração em vários filmes e games que eram bastante populares naquela época. Um grande exemplo disso é a natureza do enredo não-linear de Super Mario 64, que motivou o uso da escala do jogo, algumas configurações e abertura de backgrounds. Já a coleta de novas armas e o upgrade delas foi inspirado no jogo Super Metroid.

Em entrevista concedida por Paul Mountain a revista Retro Gamer, ele afirmou que o comportamento dos vilões tiveram base numa mistura das formações dos Space Shooters de arcades e o estilo “atacar e se proteger” de Quake. Ele revelou também, que eles foram inspirados por todas as coisas boas que eles jogaram e que se divertiram jogando. Os personagens principais, Juno e Vela, foram criados em um estilo cartunesco, mas à pedido da Nintendo, o design foi mudado para uma versão mais madura.

Os controles foram uma das maiores preocupações durante o desenvolvimento do jogo. A equipe queria manter a ideia original de basear o gameplay no personagem. O jogador poderia ver os personagens enquanto está passando pelas fases, mas mantendo a qualidade e precisão dos shooters em primeira pessoa. Inicialmente tudo era para funcionar de modo automático, tanto a mudança de perspectiva quanto a mira nos alvos inimigos. Essa mudança foi descartada pois fazer isso manualmente, apesar de dificil e complicado, seria muito mais preciso e interessante.

Os desenvolvedores também pensaram em utilizar o expansion pak para conceder mais 4MB para o jogo. Mas a ideia não seguiu adiante, pois Mountain queria que todos os jogadores pudessem ter a mesma experiência e eles poderiam concluir o jogo sem um extra de memória RAM. Mas essa indefinição causou alguns problemas nas caixas do jogo. Algumas delas foram lançadas com a informação de que era necessário o acessório para o jogo. Prontamente a Nintendo arrumou, afirmando que o acessório é compatível com quem quisesse.

Salvem todos


A equipe Jet Force Gemini precisa enfrentar e derrotar o terrível líder Mizar e sua horda de drones. A equipe principal é composta por três personagens: O garoto de poucas palavras, Juno. Seus pais foram mortos por piratas espaciais que invadiram a estação espacial onde ela morava. Sua irmã gêmea, a corajosa Vela e para completar, o cão de guerra Lupus.

Tudo começa quando os três personagens estão em volta da órbita do planeta Goldwood. Eles acabaram de escapar da destruição que Mizar causou a toda a frota Jet Force. Apesar da fuga, a nave teve danos sérios e isso impede que eles possam se defender e se teleportar para um sistema seguro. Rapidamente, Mizar e seus drones atacam Goldwood e conseguem conquistar o planeta. Além disso, eles atacam a nave dos três heróis, invadindo-a rapidamente. Sem muitas opções, eles decidem abandonar a nave, se separar e impedir a invasão completa das forças de Mizar.

Eles enfrentam imensos perigos e inúmeras hordas de drones até conseguirem alcançar o próprio Mizar. Depois de um rápido confronto, ele exalta seu ódio e jura vingança contra toda a raça humana. O vilão escapa para um asteróide próximo dali e muda o sua rota para que ele bata na Terra. Sabendo disso, o rei dos nativos de Goldwood, Jeff, planeja conseguir uma nave antiga para os Jet Force Gemini. Contudo, eles precisam encontrar suas partes vitais e salvar os nativos que foram escravizados pro Mizar. Para ajudar na busca, Jeff melhora as armas da equipe e dá jet packs para eles poderem voar. A partir daí, a equipe fica unida e partem juntos para salvar a Terra e consertar os males causados pelo vilão.

Depois de resgatarem todos os Tribals e econtrar todas as partes da nave, eles retornam ao Rei Jeff, que consegue remontar a nave. Eles partem rapidamente para resgatar a Terra. Depois de um pouso bastante turbulento e complicado, Juno encara os guardas de Mizar e parte para um confronto com o tirano. Depois de uma luta extremamente complicada, ele consegue derrotar o vilão, mas descobre que ele é um robô criado pelo irmão do Rei Jeff, o invejoso Barry.

Depois de descobrirem isso, eles percebem que a melhor chance de destruir o asteróide seria utilizando o próprio robô. Sem opções, eles são ajudados por Floyd, um robô que havia desertado do comando de Mizar e decidiu acompanhar a equipe. De forma heróica, ele se oferece para se sacrificar e destruir completamente o asteróide. Eles colocam uma ogiva com temporizador no robô e se despedem rapidamente, agradecendo o sacrifício. Eles conseguem sair bem a tempo de ver o asteróide explodir em milhões de pedacinhos. Com o planeta salvo, eles vão até a terra natal deles e recebem grandes hornas pelos serviços prestados.

Melhor mira de shooter


Jet Force Gemini é um shooter em Terceira pessoa. Ele possui elementos de diversos tipos de jogos, como plataforma, ação e aventura, e os jogos de correr e atirar. O controle do personagem em terceira pessoa tem liberdade total no mundo em três dimensões. Os mapas são amplos e possuem diversas áreas para explorar, itens para coleta, power-ups que irão melhorar as armas ou o nível de energia, quantidades exorbitantes de inimigos e alguns chefões para enfrentar.

Ao contrário dos outros jogos de tiro da Rare, as armas desse não tem capacidade de armazenamento de munição. A maior parte do jogo é composta por momentos de batalha, mas os elementos de plataforma estão constantemente presentes. O jogador precisa ter certa habilidade para pular nos momentos certos, utilizar o jet pack quando necessário e controlar bem a câmera em 3D.

O modo de combate é um sistema de mira manual que o jogador pode optar utilizar ao enfrentar os inimigos. Quando essa técnica é utilizada, uma retícula aparece na tela, o jogador fica translúcido e consegue mirar com perfeição nos inimigos. Em contraste à isso, quando o jogador está andando livremente pelo cenário, o jogo se assemelha muito a um game de plataforma 3D.

Além das batalhas, a exploração é um elemento extremamente forte no jogo. Existem 15 mundos que podem ser acessados de forma não linear, com áreas divididas por portas. A maioria delas abre de forma automática, mas algumas dependem de alguma ação em específico para serem abertas. Durante o progresso do jogo, é possível controlar cada um dos três personagens, utilizando suas características especiais para concluir determinadas áreas do jogo.

Juno pode caminhar sobre a lava sem se machucar, enquanto Vela pode nadar embaixo d’água por tempo indeterminado e Lupus pode flutuar por um curto espaço de tempo. Utilizar o personagem correto em determinadas áreas é fundamental, pois alguns pontos só podem ser acessados com suas habilidades especiais. No começo, o jogador é forçado a utilizar os personagens por definição da máquina. Com o avanço do enredo, ao chegar no ponto em que os três se encontram, é possível escolher com quem quer jogar em determinadas áreas. A maioria das missões são compostas por explorar todas as áreas, salvar os Tribals e coletar as peças da nave.

Existe um modo multiplayer do jogo que permite o confronto de dois a quatro jogadores em modos deatchmatch ou survival. Nesse modo, é possível modificar os esquemas de utilização das armas, tempo, número de mortes ou vidas, de acordo com a preferência dos jogadores. Alguns extras podem ser liberados durante a campanha, como personagens e fases para o multiplayer. O jogo também permite um modo cooperativo com tela dividida. Nesse modo, o segundo jogador controla Floyd e ajuda atirando nos inimigos.



Mr. Pants ataca novamente


  • Como vários membros da equipe de desenvolvimento gostavam de jogos de corrida e trabalharam em Diddy Kong Racing, eles decidiram colocar um minigame de corrida no jogo;
  • O minigame consiste em uma corrida futuristica com os dróides Formigas. Ele pode ser desbloqueado durante o jogo;
  • Ao bater recordes de tempo no minigame, uma pista será liberada. Essa pista é Greenwood Village de Diddy Kong Racing;
  • Também é possível destravar um minigame similar ao jogo Virtua Cop;
  • Existem elementos de Star Wars, Aliens, Dune, Battle of the Planets e também Stargate no jogo. Foi um grande misto de tudo relacionado ao espaço;
  • Em 2000, a IGN colocou o game em 20º lugar no seu “Top 25 Jogos de N64 de Todos os Tempos;
  • Em 2009, a revista oficial da Nintendo colocou o jogo como o 93º melhor game da Nintendo; 
  • A Rare colocou alguns easter-eggs em Banjo-Tooie relacionados à Jet Force Gemini;
  • Usando um código, o jogador consegue transformar as formigas no Mr. Pants.
  • Mr. Pants é o antigo mascote do website da Rare e uma grande piada interna da empresa. Posteriormente ele acabou recebendo um jogo próprio;
  • Em um ponto do jogo, dois grandes anéis são possíveis de se ver. Eles tem exatamente a mesma aparência de um dos níveis de Diddy Kong Racing;
  • Em 2000, uma versão começou para Game Boy Color começou a ser desenvolvida, mas acabou cancelada.

A corrida de formigas na pista de Diddy Kong Racing

Diversão espacial


A parceria entre Rare e Nintendo sempre gerou bons frutos. Jet Force Gemini é um grande exemplo disso, que só reafirma a saudade dos fãs e o desapontamento com o fim da parceria. Encabeçando uma crítica positiva, o jogo alcançou uma média de 7.5, mas que pode não refletir a qualidade do game.

O jogo é muito bonito. Possui um dos melhores gráficos do Nintendo 64 e tem bastante fluidez na movimentação dos personagens. Tem leves problemas na movimentação da câmera, mas isso é algo que não atrapalha o gameplay e sua desenvoltura. A trilha sonora é fantástica, demonstrando muito bem o mundo espacial que foi determinado para o jogo e todo esse estilo “space opera” que ele carrega.

Com um enredo simples, Jet Force Gemini conquista bem os jogadores e deixa aquela vontade de continuar, de chegar até o próximo momento, para ver até onde vai. Os personagens são carismáticos e a reformulação deles foi um grande acerto das duas companhias.

Jet Force Gemini mostra como era bom o tempo do Nintendo 64 e quanto potencial o console tinha. O jogo é divertido, tem conteúdo e uma temática muito interessante, que foi muito bem explorada nos anos 90. Vale apena relembrar essa grande obra.
Facebook
1
Google
 
Top