A Ubisoft é uma grande desenvolvedora de video-games.A empresa francesa tem 29 anos e carrega muitos jogos bons na sua bagagem. Hoje em dia ela sofre muita zoação pelos jogadores por vários motivos. Independente disso, sabemos que ela tem um trabalho de qualidade e acertou muito em diversos games. Hoje a nossa Máquina do Tempo vai voltar pouco no tempo e revisitar Red Steel 2, do Nintendo Wii.

Viva la France


O desenvolvimento de Red Steel 2 começou no verão de 2008 (junho na França) e apenas um mês depois foi anunciado pelo diretor executivo da Ubisoft, Alain Corre. Também foi informado que o jogo usaria o novo acessório da Nintendo, o Wii MotionPlus e possivelmente ele seria incluso em um bundle.

Os gráficos do jogo foram criados com a técnica de cel-shade, ou seja, a renderização de imagens em 3D para que se assemelhem à um desenho em 2D. São gráficos semelhantes à Borderlands, por exemplo. Também lembram o jogo de GameCube XIII, lançado pela própria Ubisoft Paris em 2003. Apesar dos gráficos, ele não possui simulação de sangue ou violência sangrenta. Os jogadores podem utilizar armas ou uma katana alternadamente e quando os inimigos desaparecem em uma nuvem de poeira, representando suas mortes. Issofez com que Red Steel 2 recebesse uma classificação para jogadores a partir de 13 anos, o conhecido T (teen) do ESRB.

O jogo faz uma mistura de elementos de Eastern e Western, ou seja, elementos de faroeste dos EUA e também asiáticos. Para o diretor criativo, Jason Vandenberghe, isso não é um problema quando se faz da maneira certa. Foi o que aconteceu em Red Steel 2, onde não vemos um cowboy com aparências de faroeste segurando uma katana todo descaracterizado. Cada elemento está no seu lugar correto e o misto foi bem colocado.

Um ano depois do anúncio da produção do game, a Ubisoft afirmou que o jogo não teria um modo multiplayer. Jason explicou os desenvolvedores exploraram as possibilidades da criação desse modo, mas eles não conseguiriam fazer a tempo do lançamento do jogo e então preferiram focar totalmente no single player, para entregar um jogo bom sem um multiplayer que ficaria medíocre.

Um faroeste asiático, quem diria?


O enrendo começa de forma alucinante. Você controla o último membro do clã Kusagari e está no deserto, amarrado a uma moto. Depois de ser arrastado, o heroi sem nome consegue se libertar, mas sua espada foi roubada por Payne, líder dos bandidos conhecidos como Jackals. Enquanto foge dos Jackals, o personagem salva seu antigo mestre que o ensina algumas técnicas, e empresta sua espada para que ele resgate a sua própria.

No caminho para perseguir Payne ele encontra pessoas que o ajudam a rastrear o vilão, mas pedem ajuda para que ele sabote as operações dos Jackals na Upper City. Eventualmente o herói encontra e derrota Payne no esconderijo de sua gangue. Ele recupera a sua katana e interroga o vilão, descobrindo que todos os membros do clã Kusagari foram mortos por um homem chamado Shinjiro.

O herói parte então para Lower City, onde encontra um clã rival chamado Katakara. Ele encontra o próprio Shinjiro no Templo Kusagari e os dois iniiciam uma batalha feroz.Depois da batalha, o herói quebra a katana de Shinjiro e coloca o inimigo na borda do telhado do templo. Mas antes que o herói conseguisse sua vingança, um ninja misterioso aparece e salva Shinjiro. Depois da luta, o herói vai falar com seu mestre, que revela o segredo por trás das katanas do clã Kusagari. De acordo com ele, as epadasão chamadas de Sora Katanas, e têm um poder imprevisível que só pode ser inserido através de métodos que apenas os Kusagaris sabem. Além deles, o próprio Shinjiro conhece o jeito de forjar espadas com esse poder, pois ele cresceu com os Kusagaris antes de trair o clã.

O herói volta a sua caçada para matar Shinjiro e descobre que ele está tentando fugir da cidade pelo trem. Ele parte em busca do inimigo antes que ele consiga sair da cidade, mas acaba descobrindo que tudo era uma armadilha. Shinjiro separa os vagões do trem onde está o herói e os explode, acreditando que na impossibilidade de sobrevivência. Mas o herói de Red Steel 2 sobrevive e se vê obrigado a andar por 3 dias no deserto até encontrar uma cidade deserta. Lá, ele descobre que a cidade fantasma era um depósito de munição dos Jackal e acaba sendo atacado pelos Katakara, vence os inimigos e parte para encontrar o seu rival.

O herói acaba encontrando Shinjiro e o enfrenta novamente em um duelo mortal. Mas desta vez o poderoso vilão criou uma nova espada para ele. O vilão acaba sendo derrotado e fala que outros clãs irão lutar contra ele para obter a última espada Kusagari. O herói enfia a katana no peito de Shinjiro e depois a quebra no meio. O jogo chega ao fim com o herói jogando a outra metade da katana de um penhasco e olhando para o corpo do rival.

Fatiar, fatiar e atirar um pouco


O game é visto na perspectiva em primeira pessoa, com o jogador podendo alternar o modo de tiro com luta de espada. O jogador consegue lutar contra seis inimigos ao mesmo tempo na tela, embora tenha momentos que aparecem mais de 20 bandidos para enfrentar.

Além da grande quantidade de inimigos, outro empecilho na inteligência artificial do jogo é que eles conseguem usar as espadas para desviar as balas, o que torna o jogo mais difícil e divertido. De acordo com o progresso das missões, que segue com o enredo do jogo, novas técnicas, armas e armaduras vão sendo liberadas para comprar. O jogador pode fazer missões paralelas para ganhar mais dinheiro e comprar novos equipamentos ou fazer upgrade dos que já possui.

Os controles do jogo são fáceis de manusear e utilizar, pois o jogador faz a movimentação do controle e o Wii Motion Plus recebe muito bem os comandos. Isso cria a imersão no jogo que permite ao jogador a movimentação do personagem e o uso dos ataques pelo controle. O controle do Wii vira praticamente a sua espada e você pode fazer diversos golpes que seria algo chato somente apertando um botão. Além disso, utilizando o Wii Motion Plus Acessory, o jogador libera movimentos que antes não seriam possíveis de fazer com o controle simples.

Parabéns, Ubisoft, você acertou


Com tudo para dar certo, Red Steel 2 foi lançado e correspondeu ao esperado. A crítica deixou uma nota de 8.5 para o jogo de Wii, com elogios do estilo enérgico e afirmando que é um dos melhores games do console. O uso dos controles com MotionPlus foi muito favorável e a estratégia de utilizá-los deu super certo. Inicialmente a Ubisoft esperava vender um milhão de cópias do game, mas depois das vendas ruins do jogo Avatar, eles baixaram pela metade. O fato é que o jogo vendeu aproximadamente 270 mil cópias em todo mundo, algo totalmente fora do esperado. 

Red Steel 2 é um excelente jogo de Wii, que conseguiu aproveitar tudo o que o console proporcionava. Talvez ele seja o game definitivo do console, pelo uso das propriedades que a Nintendo prometeu ao lançar o console. Muitos jogos utilizaram bem isso, mas não de forma tão perfeita e de qualidade. É possível afirmar que as vendas do jogo foram baixas pelo ano de lançamento. Uma possível sequencia foi especulada, mas com o a vinda do Wii-U e a pouca procura inviabilizaram a ideia.

O game apresenta gráficos de grande qualidade que rodam perfeitamente na tela. O estilo de renderização por cel shade dá um gostinho especial para o mundo bem criado de Western com Eastern. A história não é super elaborada, mas contém alguns plot twists que são dignos dos filmes de faroeste. Aliar isso com a cultura oriental, principalmente pelo uso de espadas, foi uma ideia genial, pois uni dois tipos de armas que são muito bem exploradas no jogo.

Com uma trilha marcante, gráficos bonitos e interessantes, mas principalmente a jogabilidade esplendorosa e intuitiva, Red Steel 2 ganha muito rápido o jogador. Isso acaba se tornando um problema, pois o jogo é relativamente curto e o tempo passa muito depressa quando se está fatiando inimigos ou atirando neles. Esse é um clássico do Nintendo Wii e uma das muitas provas de que a parceria entre Ubisoft e Nintendo tem coisas excelentes para promover.
Facebook
1
Google
 
Top