Masahiro Sakurai gosta de pegar todos de surpresa. Se no ano passado as reviews mundo a fora exaltavam o dia em que veríamos Mario, Megaman, Sonic e Pac-Man juntos em um game de luta, algo inimaginável a uns 15 anos atrás, esse ano vemos quase que a história dos games no "pega pra capar". Dou meus parabéns a Nintendo por terem conseguido guardar um anúncio como o de Cloud até a Direct.

Nunca o início de "Bohemian Rhapsody" do Queen fez tão sentido com uma imagem dessas.


E se tem algo que Smash Bros conseguiu provar até hoje é que ela consegue ao mesmo causar incredulidade e surpresas aos seus jogadores. De uma mera "brincadeira" com os mascotes da Big N para um dos games mais competitivos dos últimos anos (e não estou nem aí para os comentários de "SSB não é game de luta"), o game realmente conseguiu se transformar numa celebração da indústria como um todo.

Ainda devo falar muito do game por aqui, mas vou guardar meus palpites do Fighters Ballot para próximo do streaming em Dezembro. E já adianto que minha torcida por Shovel Knight no game continua.


"Na Porrada não Tem Limites"


Você pode não gostar do Cloud. Ele não é um dos meus favoritos da franquia Final Fantasy. Você pode não gostar da ideia de ter mais um espadachim no jogo - já tem um monte deles muito bem representados. Pode até achar insano que um personagem praticamente exclusivo da Sony tenha dado as caras em Smash e não no Playstation All-Stars Battle Royalle. As maiores reclamações que vi comentários a fora foi justamente por estes fatores.

Então por que um anúncio que este icônico personagem está sendo tão vibrante e tão importante? Mais do que a frase lendária do Tela Class que ilustra esse tópico, acredito que o valor histórico que o personagem possui na indústria de games seja o mais determinante.

Repare no anúncio do Ryu, outra surpresa que deixou muita gente empolgada. O lutador de Street Fighter representa um marco nos games estabelecendo o gênero de luta, embora já tenham existido vários outros games anteriormente. Final Fantasy - e isso falo por toda a franquia que começou no NES - fez o mesmo pelos JRPG.

Fãs de Zelda e fãs de Final Fantasy agora podem acertar suas diferenças de maneira saudável ;)

"Ah, mas eles têm outros personagens tão legais quanto e que fizeram história na Nintendo". Sim, é verdade. Cecil de FFIV, Terra de FFVI, ou mesmo os arquétipos icônicos como o Warrior of Light do primeiro game e o Black Mage seriam escolhas tão boas e chamativas quanto Cloud. Mas o melancólico protagonista do sétimo game da franquia principal foi uma das portas de entrada para muitos jogadores conhecerem não apenas os episódios anteriores da série, mas os JRPGs em geral.

E convenhamos: ter o Cloud no jogo é um baita acréscimo sim. E vai ser bizarro vê-lo lutando contra o Ryu, o Pac-Man, o Megaman... e o Kirby.


O Último Game?


Com o anúncio de Cloud, chegamos a 56 personagens jogáveis em Smash Bros for WiiU/3DS, isso se contarmos as três variações do Mii Fighter em separado. E com os anúncios do Fighter's Ballot, esse número pode crescer ainda mais, fazendo um dos games mais massivos em personagens da história dos games de luta. O que me levanta um certo pressentimento...

Quando a versão do Wii U de SSB foi lançada em Novembro de 2014, Sakurai teria dito em uma entrevista que esta é provavelmente sua última participação na série como produtor, dizendo que enquanto ele e sua equipe não partissem para outros projetos em definitivo, dariam todo o suporte que Smash Bros precisaria. Ainda é muito cedo para falar de um quinto game da franquia, mas podemos parar e analisar: será que é realmente necessário?

Deixarei esse questionamento no final. Com um roster massivo de personagens, recursos bem variados, uma boa cena competitiva e até mesmo novidades ainda por vir no Direct exclusivo da série em Dezembro, este pode ser o ápice que a série deve atingir, e que ao meu ver, não veremos de novo tão cedo...

P.S: Ah, deixo também o melhor vídeo de reação que já vi em um game. Divirtam-se.


Facebook
0
Google
 
Top