Alguns dias atrás, falamos aqui no site sobre uma nova lei que foi apresentada na Assembleia Nacional Francesa, para penalizar a produção de jogos considerados sexistas, por mostrarem uma representação degradante das mulheres.

Na França, qualquer jogo desenvolvido no país e na União Europeia, com custos acima de €100 mil, tem direito a um crédito de imposto de até 20% dos custos totais do desenvolvimento. Essa nova lei visava retirar esses privilégios de jogos que apresentassem uma imagem ruim das mulheres.

Porém, hoje ficamos sabendo que a lei foi reprovada pela Assembleia Nacional. O governo francês rejeitou a proposta de lei, dizendo que apesar de entender a necessidade de representar dignamente as mulheres na indústria dos jogos, a lei seria contra-produtiva para o país. Primeiro, porque a França ainda não tem muito peso internacionalmente enquanto criadora de jogos, e segundo, porque iria tirar o poder dos estúdios, que iriam para o estrangeiro desenvolver estes mesmos jogos.

Para o governo francês, sua indústria dedicada aos jogos precisa crescer e ganhar poder, e uma lei que restrinessa lei não ajudaria com isso, pois segundo eles, ela restringe a criatividade dos desenvolvedores.

Facebook
0
Google
 
Top