Foi firmada hoje em Paris uma parceria entre o Museu do Videogame Itinerante do Brasil e o Nostálgica, de Lisboa, Portugal. Os museus farão exposições conjuntas com o intercâmbio de itens que fizeram parte da história da evolução dos videogames nos dois países, em exposições integradas que acontecerão tanto no Brasil quanto na Europa.

Cleidson Lima, criador do Museu do Videogame Itinerante.
O primeiro videogame fabricado no Brasil foi o Telejogo Philco Ford, de 1977. Ele era um console ao estilo pong, com acabamento em madeira, que trazia apenas três jogos: Futebol, Tênis e Paredão. Do outro lado do oceano, em Portugal, também em 1977, nascia o TV Brinca, um console ao estilo pong, fabricado pela Vitrhom. De lá para cá, devido às características de cada país, a história dos videogames se desenvolveu de formas diferentes no Brasil e em Portugal, mas ambos tiveram uma trajetória com pontos em comum na evolução para as oito gerações de consoles nos últimos 39 anos.

E é com o objetivo de preservar e aproximar a história dos videogames de Brasil e Portugal, que o Museu do Videogame Itinerante, o primeiro museu do gênero reconhecido pelo Ibram - Instituto Brasileiro de Museus, acaba de assinar com o Nostálgica, o primeiro museu do videogame de Portugal, um termo de cooperação que prevê o intercâmbio de itens entre os dois museus e também a realização de exposições no Brasil e Europa que contemplem parte do acervo de ambos.

A assinatura da cooperação aconteceu durante o Museum Connections 2016, um dos principais eventos de museus da Europa, que aconteceu em Paris. O Museu do Videogame Itinerante foi um dos dez museus brasileiros escolhidos pelo Ministério da Cultura e Ibram - Instituto Brasileiro de Museus para representar o país nesse encontro.

Mário Tavares, criador do Nostálgica.
De acordo com Mário Tavares, criador do Nostálgica, a cooperação entre os museus é primordial para a preservação da história. "Eu e Cleidson Lima, criador do Museu do Videogame Itinerante do Brasil, tivemos histórias parecidas. Comecei a colecionar videogames, computadores e outros itens tecnológicos em 1998 e, de lá para lá, sempre lutei para criar o museu do videogame em Portugal com muita dificuldade. Agora está na hora fazermos um intercâmbio de nossos acervos para que os amantes dos videogames tenham a oportunidade de conhecer a história nos dois continentes", explica ele.

Atualmente, o Nostálgica tem um espaço dentro da Fundação Marquês de Pombal, em Lisboa, e abriga mais de 200 consoles de videogames, 1200 jogos, além de outros 1500 itens, tais como TVs, computadores, gravadores de áudio, entre outros. Em 2015, expuseram seus itens na Lisboa Games Week, Festival In e Lisbon Maker Faire.

O Museu do Videogame Itinerante no Brasil, foi criado em 2011 a partir de uma coleção de Cleidson Lima iniciada em 2004, é composta atualmente por cerca de 270 consoles de todas as gerações que contam 43 anos de evolução, desde o primeiro do mundo, o Magnavox Odyssey, de 1972, até os modelos atuais. Um dos diferenciais do Museu do Videogame Itinerante é que, além de conhecer consoles e jogos raros, os visitantes também podem jogar em alguns videogames que fizeram história. O espaço conta ainda com modelos da nova geração de consoles, tais como PlayStation 4, Xbox One e Wii U, e diferente do Nostálgica, o Museu do Videogame Itinerante não tem uma sede fixa. Por meio de uma estrutura móvel, que envolve duas carretas, a exposição percorre várias cidades do Brasil, especialmente shoppings e eventos. 


Em 2016, estão previstas exposições do Museu do Videogame Itinerante em Caxias do Sul (Festa da Uva), Maceió, Recife, Manaus, São Luís, Teresina, Belém, São Paulo, Rio de Janeiro, entre outras cidades brasileiras. Você pode conferir a agenda do museu através do endereço http://www.museudovideogame.org/agenda.
Facebook
0
Google
 
Top