No dia 14 de Janeiro, foi apresentada à Assembleia Nacional Francesa, uma nova lei que visa penalizar qualquer jogo que seja considerado sexista. A lei foi renegada nesse mesmo dia, mas em 16 de Janeiro voltou a ser apresentada, com algumas correções.

A lei que chegou ao Parlamento Francês procura retirar os benefícios fiscais concedidos a todos os jogos que sejam considerados sexistas e inapropriados. Na França, qualquer jogo desenvolvido no país e na União Europeia, com custos acima de €100 mil, tem direito a um crédito de imposto de até 20% dos custos totais do desenvolvimento. Essa nova lei, procura alterar o termo "pornografia" nas classificações desses jogos para "representação degradante contra as mulheres",

A lei foi apresentada por Catherine Coutelle, Presidente da Delegação dos Direitos da Mulher e Igualdade de Oportunidades entre Homem e Mulher. A lei teve o apoio de treze pessoas e de cinco membros da Assembleia Nacional.

Vários programadores franceses reagiram a ela, dizendo que é algo louvável, mas muito difícil de implementar na prática, pois na França, os programadores já são altamente cuidadosos com a forma como representam as mulheres em seus jogos.

Um dos grandes problemas dessa lei é que ela visa exclusivamente os jogos, o que é um grande erro, já que problemas relacionados ao sexismo em outros meios são algo bem mais importante de se combater do que a representação de algumas (pois não são todas) mulheres em jogos.

Facebook
0
Google
 
Top