O Super Nintendo, um dos consoles mais icônicos da Big N, completou 25 anos nesta semana. Relembre alguns dos momentos mais marcantes do videogame, desde seu lançamento com o Super Mario World até os incríveis avanços de games como Donkey Kong Country e Star Fox.



Super Mario World (1991)

Seguindo uma das tradições da Nintendo desde o NES, o console foi lançamento com um jogo do Mario incluso. Super Mario World era uma perfeita evolução da popular fórmula de Super Mario Bros. 3, com novidades como o Yoshi e um grande mapa permanente, em vez de dividido por mundos. O game tornou-se o mais vendido da plataforma, com mais de 20 milhões de unidades.


Street Fighter 2 (1992)

Uma das maiores sensações dos fliperamas, Street Fighter 2 foi um dos games que fez os jogadores perceberem que precisavam de uma nova geração, pois não era possível convertê-lo ao Nintendinho. A conversão do Super Nintendo ficou perfeita e levou o clássico dos fliperamas direto para jogar em casa, o que na época era quase impensável. O principal competidor do Super Nintendo, o Mega Drive, demorou para receber o jogo que exigia um controle extra de 6 botões.


Super Mario Kart (1992)

Se hoje é comum ver games de mascotes para todos os lados, principalmente em jogos de corrida, esportes e luta, o encanador da Nintendo que começou com tudo isso, ainda no Super Nintendo. Super Mario Kart foi uma revolução para a época ao apresentar o gênero de corrida sob uma nova ótica, voltado para a diversão. Pela primeira vez jogadores tinham um game que recompensava não apenas a habilidade, mas também a sorte, estrelado pelos rostos mais icônicos do console.


The Legend of Zelda: A Link to the Past (1992)

A proposta de ALTTP parecia ser a de pegar o primeiro jogo lançado para o NES e expandi-lo, forçando ao máximo os limites do Super Nintendo e da própria competência dos programadores. Nesse sentido, ALTTP talvez seja o ápice de sua geração, orquestrando todos os elementos dos jogos de aventura bidimensionais com a máxima perfeição.


Star Fox (1993)

Os gráficos do Super Nintendo eram incríveis quando o console foi lançado, mas, assim como todos os videogames da época, em 2D. Imaginem a surpresa quando Star Fox foi lançado e, com a ajuda do famoso chip Super FX, que  fez o console ser capaz de produzir jogos em 3D, ainda que rudimentares. Star Fox era um game primoroso e não apenas exibia o 3D, mas também o utilizava para criar uma nova série de peso para a Nintendo.


Super Mario All-Stars (1993)

Em seu segundo ano, o Super Nintendo ganhou um pacote extremamente nostálgico com Super Mario All-Stars. Remakes e remasterizações hoje são comuns, mas este foi o primeiro contato que jogadores da época tiveram com versões refeitas. O pacote trazia remakes dos games do NES: Super Mario Bros., Super Mario Bros. 2 (versão dos EUA) e Super Mario Bros. 3, além de Super Mario: The Lost Levels, uma versão mais difícil de Super Mario Bros. que havia sido lançada no Japão como Super Mario Bros. 2.


Donkey Kong Country (1994)

O Super Nintendo perdeu espaço para o Mega Drive por um tempo, graças ao agressivo marketing da concorrente Sega, porém um jogo virou a mesa. Donkey Kong Country, com gráficos pré renderizados (criados em 3D e depois convertidos para 2D), iniciou uma febre que levou o Super Nintendo a uma esmagadora vitória. A série também garantiu duas sequências: Donkey Kong Country 2: Diddy’s Kong Quest e Donkey Kong Country 3: Dixie Kong’s Double Trouble, todos extremamente elogiados.


Super Metroid (1994)

Lançado em 1994, três anos após o lançamento de Metroid 2 no Game Boy, Super Metroid é até hoje considerado um dos melhores jogos de todos os tempos não só na mídia, como para os jogadores de longa data. O game fez o que Castlevania – Symphony of the Night faria mais tarde (no Playstation), mas três anos antes e em uma plataforma muito mais limitada. Um dos grandes pontos forte da aclamada série sempre foi a liberdade de ir e vir pelo cenário, mas Super Metroid levou aos limites o que um cartucho poderia fazer na época. Com um arsenal de itens e equipamentos imenso e diversificado, a maneira com que o jogo progride é gradativo e recompensador, de uma maneira não linear.


Super Mario World 2: Yoshi’s Island (1995)

Em 1995, quando o mundo dos jogos eletrônicos já se deleitava com a modernidade dos polígonos, a Nintendo produz uma das mais belas obras de arte da história dos videogames: Super Mario World 2: Yoshi’s Island. Graciosamente pincelado com cores vivas e magistralmente orquestrado com delicadas canções, a jornada de amizade e coragem de Yoshi e Baby Mario marcou história no Super Nintendo, tornando-se um dos títulos mais aclamados de todos os tempos.


Chrono Trigger (1995)

O que faz de um jogo um clássico? Sua jogabilidade? Seus gráficos? Sua diversão? Suas vendas? Não existe uma regra exata para definir os melhores games. E neste seleto grupo de jogos, temos “Chrono Trigger”. Game que foi responsável pela quebra de vários paradigmas há tanto tempo cultivados pelos JRPGs. Seu tema de “viagem no tempo” nunca antes havia sido tão bem explorado. Um exemplo disso é que suas ações executadas no passado alteram o futuro do jogo. Outro ponto forte: o jogo prioriza a narrativa e os caminhos por onde o jogador deseja seguir.


Feliz aniversário 

São muitos os feitos e atributos de uma máquina que revolucionou a forma como nos relacionamos com os videogames. O SNES merecidamente, conquistou um lugar cativo no coração dos jogadores.
Já se foram 25 anos, mas parece que foi ontem. Feliz aniversário, Super Nintendo.

Fiquem com um dos comerciais mais geniais de todos os tempos: "A única empresa do mundo que complica sua vida e você adora."

Facebook
0
Google
 
Top