No dia de ontem (15), surgiu a notícia de que o Procon de Cabedelo (Paraíba) publicou uma nota afirmando que estaria estudando a proibição do game Pokémon GO.

Na mensagem, o órgão dizia estar preocupado "com os efeitos negativos do jogo". Uma vez que ele estaria ligado a "mortes, assaltos e acidentes". Até o momento, uma medida concreta não estava definida, mas havia a possibilidade de pedir a proibição total.

Isso gerou bastante comoção por parte dos consumidores de todo o país. Afinal de contas, a grande maioria das pessoas não quer saber de ter o jogo bloqueado em seus aparelhos.

Por conta disso, o Procon de Cebedelo emitiu uma nova nota em seu Facebook. Agora, a afirmação é bem mais moderada:

"O Procon de Cabedelo vem esclarecer ao público em geral que não é a favor da proibição do jogo Pokémon GO. A notícia veiculada no Jornal da Paraíba não reflete a real intenção do órgão. Na verdade, estamos sim preocupados com os acidentes e a violência gerada pelo uso descontrolado do jogo, mas não queremos proibir o jogo. O que pretendemos é criar meios que evitem acidentes e mortes e educar os jogadores para o uso consciente". (sic)


Logo depois de fazer isso, o órgão também afirmou: "O Procon Cabedelo jamais será omisso quando qualquer produto ou serviço for considerado perigosos ou nocivos para o consumidor (Inciso I, do Art. 6 da Lei 8.078/90).". Mais tarde, disse: "Não iremos promover qualquer ação para bloquear o jogo".

Facebook
0
Google
 
Top