Hoje inauguramos uma das nossas novas colunas, e ela tratará de prévias (ou previews para quem prefere em inglês) de lançamentos iminentes da Big N, com detalhes, informações, curiosidades e claro que para começar falaremos sobre o console/portátil que está dando o que falar e é o centro de gravidade de todo o universo da Nintendo desde o fim do ano passado.

O Switch

O Nintendo Switch é o último console sobre a supervisão do falecido ex presidente da Nintendo, Satoru Iwata, que sempre priorizou diversão e acessibilidade a gráficos de última geração. O Switch parece se apoderar destas ideias com a apresentação de poder fornecer jogos de grande qualidade em qualquer lugar e qualquer hora, ainda que com capacidades gráficas um pouco abaixo das suas concorrentes diretas.



Console de Mesa ou Portátil?

O Nintendo Switch chega ao mercado no dia 03 de março propondo uma mudança na divisão que temos no mundo dos games, jogos portáteis e jogos de consoles de mesa, com isso não haveria mais barreiras nem a necessidade de parar de jogar caso tenhamos que sair de casa. Para isso o console conta com uma tela de 6.2 polegadas (a tela superior do 3ds XL tem 4,88 polegadas). Dessa maneira fica o questionamento o Nintendo Switch é um console de mesa com habilidade de ser levado para fora de casa ou um portátil com uma capacidade gráfica incrível que como bônus pode ser ligado a TV? Bom na realidade essa pergunta parece não ter uma resposta concreta, pois a própria Nintendo parece não respondê-la de forma definitiva. Se no ocidente o video game é posto como um console que não precisa de uma tv, no japão, aonde os portáteis são dominantes, a ideia vendida é a de que o Switch é o maior e melhor portátil de todos os tempos. Ainda como uma curiosidade quando questionado sobre a natureza do Switch, se ele era um console ou um portátil, o Presidente da Nintendo of America, Reggie Fils-aime respondeu de forma humorada "é um Switch".
Por outro lado talvez essa diferença não importe muito e fique mais a cargo da maneira que o jogador escolha de usá-lo, mostrando que provavelmente a Nintendo atingiu seu objetivo que é fornecer aos jogadores um console que eles possam utilizar da maneira que os convir melhor.


Evolução do Wii U

O Nintendo Wii U foi lançado alguns anos atrás e sua proposta da início foi extremamente confusa, enquanto os fãs mais ardorosos da Nintendo se mantiveram esperançosos, o público geral não entendeu sequer do que se tratava de fato, e se o público geral não entende o que é o seu produto a única certeza que resta é a de que o console não irá vender bem. A proposta do Wii U foi interessante, uma certa portabilidade nos jogos, uma segunda tela no controle, jogos únicos e inventivos. De certa forma não é tão distante da proposta do Switch, porém, este parece levar tais ideais ao extremo. Novamente temos uma tela no controle, mas ela não é forçada nos jogos, pelo contrário ela é ligada a portabilidade e dessa vez ela está mais adequada aos padrões de resolução atual; novamente temos um console com poderio gráfico inferior aos seus concorrentes, mas se pararmos para pensar que dessa vez teremos um console significativamente mais poderoso que o Wii U e é totalmente portável, é algo muito impressionante. Porém não para por ai o Switch impressiona também pelo seu acabamento, enquanto o gamepad parecia um brinquedo de 1,99, o Switch parece um tablet de última geração com acabamento comparável até mesmo a produtos da Apple. Falando de forma muito franca o Switch parece um Wii U que foi bem planejado e possivelmente bem executado, ou seja um Wii U que pode dar certo.


Evolução do 3DS

O 3DS diferente do Wii U, teve uma vida surpreendentemente louvável e ainda hoje continua recebendo novos jogos, mesmo com o Switch chegando também para substituí-lo eventualmente. A relação entre o antigo portátil da Nintendo e o novo híbrido não é tão óbvia quanto a do Switch com o Wii U. O Switch não parece um 3ds que pode dar certo, inclusive porque o último portátil a ser lançado pela Nintendo não precisa de um sucessor para corrigir seus erros, o Switch pelo contrário parece tentar se aproveitar de tudo que o 3ds fez de certo. a popularidade da portabilidade, franquias ressuscitadas na última geração, como Fire Emblem e Kid Icarus, virando carros chefes do Switch, entre outras. O fato é que o Switch marca o adeus, pelo menos por enquanto, para a família DS a mais bem sucedida de portáteis da Nintendo e uma das mais queridas pelos fãs.


Evolução e Revolução na Medida Certa

O Nintendo Wii, durante toda sua frase de produção utilizou o codinome revolution, mostrando que a proposta da empresa era criar um console que fosse revolucionário, e eles conseguiram. O Wii U, a sombra de seu antecessor, tentou fazer a mesma coisa, mas o gamepad não foi bem aceito, compreendido e os estúdios não foram condescendentes com o console  ignorando sua mecânica principal ou totalmente, sequer se esforçando em portar jogos para ele. Com o Switch a proposta se modificou um pouco, embora a Nintendo esteja almejando uma revolução ao fundir consoles e portáteis, o Switch parace ter seu foco em duas coisas, evolução de tudo que a Nintendo já fez e jogos de qualidade. Muitos consoles da Nintendo foram considerados revolucionários, NES, SNES, N64, Gamecube, e o já mencionado Wii, mas com exceção do último os consoles anteriores nunca buscaram a revolução, e esse retorno de foco ao que importa é o que torna o conceito do Switch interessantíssimo.


Especificações e Detalhes (Que podem fazer toda a diferença)

  •  Tela de LCD de 6,2 polegadas com touchscreen capacitivo - Tamanho excelente como comparativo o Iphone 7 e o Galaxy S7 possuem tela de 5,5
  • Resolução da tela: 1280 x720 pixels e 1920 x 1080 -Ou seja HD na tela 
  • Bateria que durará de 3 a 6 horas - Com Zelda Breath of the Wild durará aproximadamente 3 horas, o que é muito pouco.
  • Essa bateria tem a vantagem de poder ser carregada por um USB-C, ou seja você pode utilizar carregadores portáteis para recuperar as energias do console
  • A bateria não é trocável, a menos que você envie o console para a Nintendo efetuar a troca.
  • A Nintendo pretende lançar pelo menos um jogo grande todo mês
  • O console não vai esquentar muito e de modo algum será um incomodo para segurar em modo portátil
  • O console é bem mais leve que o gamepad do Wii U, mesmo com os joy-cons tendo um peso ligeiramente maior do que o 3dsXL
  • O tamanho é razoavelmente grande, é totalmente portável, mas não ponha no seu bolso.
  • Há alguns jogos importantes no lançamento; a Nintendo diz ter mais de 30, mas a verdade é que quem vai comprar no dia 03 de março o jogo para acompanhar o console é The Legend of Zelda Breath of the Wild
  • Outros jogos interessantes são: Super Bomberman R, Super Street Fighter II, 1, 2 Switch, I am Setsuna, Fast RMX e Shovel Knight
  • Estranhamente muitos títulos bons serão lançados inicialmente apenas no Japão e depois virão pro ocidente
  • Em breve teremos Mario Kart 8 Deluxe, Splatoon 2 e mais pra frente Fire Emblem Warriors e Super Mario Odssey fecha o ano.
  • Console suporta Unreal Engine 4 e Unity, ou seja as duas engines mais importantes do mercado - porém não se sabe ainda sobre a Frostbite.
  • Não teremos Virtual Console no lançamento, mas eShop estará aberta já no dia 03
  • Ainda assim parece que o Virtual Console chegará em breve
  • Mas foi revelado que haverá mensalidade para utilização do multiplayer online, o valor será relativamente baixo ficando entre 17,50 e 26,50 dólares ao ano.
  • O console não terá navegador de internet, nem serviços de Streaming como Netflix, HBO Go e Amazon Prime no lançamento.

A Expectativa

8.5/10

A Nintendo fez um bom trabalho com o Switch, tanto em criar parcerias como em divulgá-lo; tivemos excelentes comerciais no Super Bowl,  uma mensagem clara do que o console vai oferecer e diversas companhias elogiando-o muito. Mas ainda assim a Big N parece ter um dom para auto sabotagem, a falta de detalhes, o foco em jogos de apelo questionável como 1, 2 Switch, ausência de VC, navegador e Netflix no lançamento e mensagens detestáveis como "não temos nada para compartilhar no momento, mais informações em data futura" danificam um pouco um console que poderia ter um lançamento perfeito. Por outro lado, o Switch  promete ser uma fundação sólida na qual a Nintendo poderá se erguer as alturas, a simples noção de um console no qual teremos Zelda, Mario, Pokémon e todo o foco das produtoras da Nintendo e parceiras é algum inacreditável e é difícil até mesmo de mensurar o quão incrível pode ser.

Facebook
0
Google
 
Top