The Legend of Zelda: Breath of The Wild foi um dos melhores jogos lançados recentemente, ele não só vendeu de forma impressionante, como também obteve notas altíssimas da crítica especializada.

A Gamesindustry.biz entrevistou dois grandes desenvolvedores e perguntou o que fez Breath of The Wild ser tão inovador e como isso pode ajudar no futuro de jogos de mundo aberto.

Benjamin Plich foi o principal designer de Assassin's Creed Unity e For Honor e atualmente está empregado na Montreal Reflector Entertainment. Ele falou o seguinte da obra prima da Nintendo:

Breath of The Wild mostrou o que a maioria dos designers já sabiam, mas que é difícil de conseguir... Esses jogos estão evoluindo de um mundo aberto clássico para um modelo em que a progressão é aberta à escolhas intrínsecas de cada jogador, com desafios adaptativos, além de evoluir nas narrativas, e assim por diante.

Damien Monnier atuou como designer sênior em The Witcher 3 na CD Projekt RED e agora é o principal designer na Techland. Ele tem uma opinião muito parecida com a de Plich:

Breath of The Wild conseguiu reunir a mecânica clássica do mundo aberto enquanto não confia nelas para orientar o jogador através do seu mundo. Você vai explorar porque você quer saber o que tem lá fora, e não porque tem uma seta dizendo para você ir. Minhas expectativas, e digo isso como um fã de Zelda, mudaram com certeza. Elas vão muito além quando se trata da engenharia de mundo e dessa sensação de imersão total que tenho quando estou jogando.

Embora o seu mundo inclua atividades clássicas de mundo aberto, tais como colecionáveis e tesouros, você definitivamente não se sente sobrecarregado e permite que o foco fique na exploração. Você quer explorar essa terra mesmo se estiver procurando ou não por algo ou se está encarregado de coletar alguma coisa ou não. E se removem todos os NPCs, missões e baús eu continuaria, com prazer, explorando esse mundo.

Breath of The Wild pode ter emocionado jogadores do mundo todo, mas ela ganha a marca de um jogo excepcional quando vemos que ele está influenciando outras produtoras. Até então a Nintendo não brilhava muito em jogos de mundo aberto, mas com o novo Zelda ela mostrou que sempre inovará no mercado de games.

Você concorda com as opiniões de Plich e Monnier? Acha que o novo Zelda mudará os jogos de mundo aberto que serão lançados no futuro? Deixe o seu comentário e compartilhe conosco a sua opinião.


Fonte
Facebook
0
Google
 
Top