Metroid Samus Returns sem sombra de dúvidas foi uma das surpresas mais agradáveis e inesperadas que tivemos durante a última E3, o game que foi anunciado para o Nintendo 3DS em uma Nintendo Treehouse, e conseguiu fazer o coração de alguns gamers bater mais forte, já que mal havíamos digeridos o fato de Metroid Prime 4 também ter sido anunciado (para o Switch) durante a apresentação principal da Nintendo, sim meus caros Samus Aran está de volta e tudo indica que dessa vez ela veio para ficar!

Caçando Metroids


Antes de tudo é preciso entender que Metroid Samus Returns se trata de um remake de Metroid II Samus Returns que foi lançado para o Game Boy lá em 1991, porém para muitas pessoas (assim como eu), esse game se trata de algo inédito e muito provavelmente se você já teve a oportunidade de jogar o original no Game Boy ou pela eShop do 3DS você também irá notar que o jogo trás muitas novidades com relação a sua versão antiga.

O game foi desenvolvido pela Mercury Steam e apesar de trazer muitas evoluções e novidades, seus layouts de fase e história tentam seguir os padrões de sua versão antiga, assim como o fato de ele ainda ser um jogo de plataforma 2D, (mas com uma profundidade de cenário incrível), aliás falando em história, o jogo trás a continuação dos eventos do primeiro Metroid lançado para o NES lá em 1986 onde no ano de 20X5 a Federação Galáctica consegue encontrar formas de vida estranhas em um planeta intitulado de SR388, porém as naves dos pesquisadores sofreram com ataques de piratas do espaço que ficaram gravemente feridos e danificaram suas naves, esses piratas estavam sendo liderados pela Mother Brain, no entanto, após esses acontecimentos a Federação Galáctica concluiu que os Metroids ainda eram uma grande ameaça para a humanidade e sendo assim recrutaram a caçadora de recompensas Samus Aran para que ela fosse até o planeta de origem desses Metroids (o planeta SR388) para aniquilá-los sendo essa a principal premissa de Metroid Samus Returns.

Versão de 1991
"Remake" de 2017














O planeta SR388


Nada que consultarem detonados hein galera!
Após a introdução do jogo nossa nave aterrissa na superfície do planeta SR388, e é a partir daí que começa a nossa exploração nesse lugar nada hospitaleiro, um dos grandes pontos fortes aqui é o fator de exploração, pois não demora muito para percebermos que o planeta é na verdade um grande labirinto onde se escondem vários segredos e mistérios.

É fato que nos dias de hoje quando agarramos em alguma parte de um jogo logo tentamos recorrer a um gameplay ou a um detonado para sabermos como avançarmos, no entanto eu não recomendaria que isso se aplicasse a este game, pois todo o seu charme está na exploração dos cenários e logo vale muito a pena se o jogador(a) tentar avançar por si mesmo desvendando os caminhos pelos quais se aventura.

A jogabilidade pode ser um fator um tanto quanto decepcionante no começo da jogatina, principalmente para aqueles que não possuem intimidade com os jogos da caçadora de recompensas (como eu denovo), isso porque os movimentos de Samus são muito mecânicos e meio travados se compararmos sua jogabilidade com a de Super Mario por exemplo, mas isso é facilmente superado pelo jogador(a), pois apesar de mecânicos os comandos de Samus são bem simples de serem executados, e bastam poucos minutos explorando os cenários para termos o controle total de nossa heroína que conta com vários recursos para derrotar os Metroids.

O planeta SR388 é dividido por oito áreas mais a superfície, podemos dizer que cada área é como se fosse uma fase do jogo, mas não se deixe enganar, pois o game não é tão curto assim, cada área esconde vários segredos e possuem um tamanho relativamente grande para se explorar, e para que se possa ter acesso a outras áreas o jogador terá de abater uma certa quantidade de Metroids que cada nível vai exigir para progredir, além disso em cada área também é possível encontrarmos vários upgrades para o traje de Samus, tais como tanques extras de energia, canhão de gelo, radar, escudo, a
O novo sistema de parryng se torna fundamental no jogo.
clássica habilidade morphball, a nova mira que permite atirar em qualquer direção, o sistema de parrying, dentre outras infinidades de recursos que deixam Samus extremamente poderosa quando chegar a última área do jogo, logicamente que os inimigos também irão ser mais difíceis a medida que o jogador(a) progride pelas áreas

Um ponto negativo com relação aos inimigos é que muitas vezes eles dão um respawn muito rápido quando saímos de uma sessão e retornamos para a mesma, digo isso porque as vezes é fácil nos perdermos pelo cenário e logo é normal que tenhamos de passar por um mesmo lugar várias vezes e por conta disso sempre temos de abater os mesmos inimigos, outro aspecto negativo são os pontos de save no jogo, por se tratar de um game para um console portátil seria interessante se pudéssemos salvar nosso progresso no momento que bem quiséssemos, mas não é assim, você é obrigado a ir até um ponto de save. Lembro que precisei refazer muitas partes do jogo por estar jogando no ônibus ou no metrô e na hora em que eu ia descer do transporte eu não tinha como salvar meu progresso pelo fato de não estar próximo a um save, no entanto existem vários desses pontos espalhados pelo mapa, mas ainda assim seria melhor se pudéssemos salvar o jogo quando quiséssemos .

O nível de dificuldade não decepciona!

É preciso bater muita perna se quiser ver o mapa inteiro!
Por se tratar de um jogo linear, não espere que seja tão fácil encontrar os lugares certos pra onde se deve ir logo de cara, isso porque o mapa na tela inferior do console vai se revelando aos poucos à medida que o jogador (a) avança, além disso, muitas vezes será necessário retornar em algumas áreas para pegar um item que antes você não conseguia pegar por conta de uma habilidade que te faltava, o que acaba colaborando bastante com o fator replay do jogo, pois quando se tem todos os upgrades do traje de Samus a exploração pelo mapa se torna bem mais fácil, e acreditem, o mapa esconde tantos segredos que faz com que fiquemos instigados a explorar cada cantinho possível.

 Upgrade na nostalgia


Se para alguns gamers Metroid Samus Returns é algo inédito, para outros o jogo se trata de uma boa dose de nostalgia, e a Nintendo  juntamente com a Mercury Steam tiveram plena consciência disso, o jogo é muito bem trabalhado em todos os seus aspectos, na parte gráfica os cenários possuem um nível de detalhamento e profundidade que chega a encher os olhos, aliás esse é um dos poucos jogos em que se vale a pena jogar com o efeito 3D do 3DS ligado, e podem acreditar no que estou dizendo, pois o 3D aqui realmente faz uma diferença enorme melhorando ainda mais o que já e bom.

Com relação a parte sonora também temos outro show, as músicas são fluidas e combinam com os cenários do jogo, salvo que alguns arranjos vem de jogos anteriores da série o que é algo muito bem vindo, o jogo também trouxe novos amiibos que liberam conteúdo exclusivo assim como também ganhou uma versão de colecionador onde se é possível ter acesso a arte da capa original do Game Boy e a um CD com todas as músicas do game.

Novos Amiibos e a versão de colecionador!
Até mesmo uma versão do New 3DS com a temática de Metroid foi lançada para ajudar a promover a franquia, a partir de todo esse cuidado por parte da Nintendo vemos que a empresa do bigodudo não só procurou reinserir Samus para os jogadores mais antigos como também procurou apresentá-la aos jogadores mais novos, como uma espécie de introdução a experiência que muito em breve teremos com o Metroid Prime 4 que será lançado pro Switch daqui a algum tempo. 

Metroid Samus Returns sem sombra de dúvidas é uma ótima aquisição para o seu 3DS, esse é um daqueles jogos em que você irá sentir o prazer de zerá-lo por várias vezes sem se enjoar (o que é algo difícil nos dias de hoje), se assim como eu você só conhecia a Samus pelo Smash Bros, recomendo que dê uma chance a essa franquia fantástica, pois dificilmente irá se arrepender, e se você já é um conhecido de Samus por meio dos outros jogos da série, então está esperando o que para se aventurar nesse remake com cara de jogo novo? Enfim, Metroid Samus Returns é o tipo de jogo que muitos de nós gamers estávamos esperando e precisando há muito tempo e que com toda certeza merece a nossa atenção.


Notas:

História 9/10
Visual 10/10
Trilha sonora 10/10
Jogabilidade 9/10


Facebook
1
Google
 
Top