Novamente, a Brasil Game Show dedicou uma área específica para que o público presente tivesse a oportunidade de testar não só os grandes lançamentos das desenvolvedoras do mundo todo, mas também se aprofundar nos títulos independentes feitos aqui no Brasil. Na estande do Hexa Game Studio, tivemos a oportunidade de jogar Black Iris, um game cuja história busca inspiração em novelas coreanas.

Em uma breve conversa com Abraham Kim (programador líder, game designer, business manager e rigger), começamos a entender a proposta do jogo. No mundo de Hera, a jovem Iris busca recuperar suas memórias e descobrir sobre seu passado, mas seu obscuro caminho será desafiador e repleto de inimigos. O game está sendo desenvolvido para Playstation 4 e PC.

Público testa a demo de Black Iris na BGS 2017 (Foto: Patrick Andreozzi)

A primeira coisa a surgir em mente ao iniciar a demo de Black Iris é o game Dark Souls, principalmente por sua dificuldade e visual sombrio. Controlando Iris, caminhamos por um curto espaço e já nos deparamos com a primeira ameaça: um grande cavaleiro armado de uma lança. Bloqueie os ataques inimigos ou esquive, só não deixe de usar sua espada. Embora os comandos sejam fáceis, os confrontos impostos são complicados e desafiadores, e morremos logo na primeira tentativa. Podemos tentar de novo?

Um fator interessante que torna a dificuldade ainda maior é o fato de que os inimigos não param de atacar caso Iris caia no chão. Levante rápido e volte para o combate. Para recuperar vida após a batalha, a personagem usa uma habilidade de cura que solta chamas intensas. Seguimos em frente e novos inimigos aparecem - dessa vez, mais de um ao mesmo tempo. Travar a mira em um adversário específico facilita a vida dos jogadores e os permite desferir golpes mais certeiros - o que torna as lutas mais rápidas e menos desgastantes. A barra de vida inimiga fica acima de sua cabeça e todos os golpes acertados mostram o dano de ataque da protagonista.

Confira o gameplay de Black Iris abaixo:


O fantástico mundo sombrio nos mantém sempre alerta. Seletas tochas e fontes de luz são estrategicamente inseridas para nos guiarem, evitando que jogadores se percam ou fujam do caminho a ser seguido. Será interessante explorar mais de Hera e encontrar as respostas que a protagonista busca quando o jogo for lançado - previsto para o início de 2018. O game promete batalhas interessantes, habilidades e armas poderosas, mas principalmente muito desafio.

Black Iris se apresenta como um ambicioso projeto no cenário brasileiro de desenvolvimento independente de games, principalmente por contar com uma pequena equipe de apenas cinco integrantes. Se interessou pelo jogo? Corre no site oficial do game e fique ligado nas novidades.
Facebook
0
Google
 
Top