Estamos bem próximos da data de lançamento de Super Mario Odyssey. Marcado para chegar ao Nintendo Switch nesta sexta-feira (27), o game promete ser mais um grande marco na história da Big N. Em entrevista ao GQ, o diretor Kenta Motokura e o produtor Yoshiaki Koizumi falaram sobre o relacionamento entre Mario e Peach, criação de fases e muito mais - você pode conferir a entrevista completa em inglês aqui.

Sobre a criação das fases do jogo, Motokura explica que tudo começa com protótipos e como diferentes ideias se encaixam no gameplay.

Tudo começa com diferentes protótipos - temos todas essas ideias diferentes, e tentamos escolher as melhores para construir uma fase. E, assim que juntamos essas ideias, começamos a pensar nas diferentes ambientações que fazem sentido para essa fase. Qual estilo faz sentido? Então, se há uma ideia de jogabilidade que envolve Mario andando sobre uma superfície escorregadia, dizemos 'Okay, essa ideia se encaixa em um reino com neve ou um reino congelado.' Ou, se tivermos uma fase onde Mario precisa pular - e se fizermos uso de uma cidade realista como Nova York?

Super Mario Odyssey introduzirá um novo recurso à franquia: Mario lançará Cappy, seu chapéu. Independente da direção, Cappy poderá tirar dano de inimigos e coletar moedas, e Motokura diz que essa foi uma ideia natural durante o desenvolvimento do jogo.

No começo do desenvolvimento, um dos temas impostos por Koizumi [produtor do jogo] era usar o Joy-Con para diferentes ações dos jogadores. Uma coisa muito natural para nós era a ideia de lançar algo. Então, escolhemos algo que era familiar aos jogadores, para que eles sentissem um senso de empatia e um senso de conexão - decidimos que Mario simplesmente poderia lançar seu próprio chapéu.

O diretor também fala sobre a importância das emoções e humor de Mario nos jogos da franquia.

[...] é muito importante para nós que esses jogos tenham humor, e que jogá-los colocará um sorriso no rostos das pessoas. E acho que, se você tem um jogo que possui esses elementos responsivos, te permitirá uma gama extra de situações, onde Mario está em uma situação perigosa e isso fica aparente em seu rosto - então, esse contraste também permite outras conexões emocionais. Acredito que, neste jogo em particular, Mario passa por diferentes emoções, e acho que as pessoas vão gostar muito disso no jogo.

Sempre presente nos games da franquia, a relação entre Mario e Peach também marca Odyssey.

O relacionamento entre Mario e Peach possui um grande papel nos jogos há muito tempo, e neste game vamos nos aprofundar nisso. Um dos temas do jogo é o casamento - chegou ao ponto em que estávamos testando um traje de casamento para o Bowser, e foi um grande sucesso entre a equipe, ficamos loucos com isso. Então, naquele momento, nós definitivamente começamos a ficar entusiasmados com a forma como os fãs iriam reagir quando virem isso acontecer, é algo que estamos ansiosos em saber.

Motokura e Koizumi finalizam falando sobre como é criar um game de plataforma que seja divertido e que permita jogadores fazerem suas próprias escolhas.

Motokura: Para mim, são duas coisas - uma é você tocar os controles de forma intuitiva - você move o Mario e é divertido. Outra coisa é dar escolhas aos jogadores. Eles podem tentar coisas diferentes e, quando o fazem, o jogo responde de alguma maneira. Então, há um tipo de relacionamento entre o que os jogadores fazem e o que o jogo devolve.

Koizumi: Algo muito importante nos jogos do Mario é o level design, onde não há apenas um objetivo  ou uma maneira específica de terminá-lo, e isso te permite repetir as mesmas coisas, o mesmo gameplay, mas de formas diferente para ter uma experiência diferente.

Super Mario Odyssey é o décimo sexto título da franquia Mario e está chegando ao Nintendo Switch. Esperamos que toda a espera valha a pena e que seja mais um título marcante na vida dos fãs.

Fonte
Facebook
0
Google
 
Top