A industria dos games sempre foi sobre dinheiro; inventiva, bela, inovadora - tal como um sonho ou uma utopia - porém o dinheiro é o grande alvo das empresas. Entretanto ao longo dos anos parece que a agressividade em relação a este bem se intensificou. As companhias começaram a utilizar dlcs, passes de temporada, e inclusive recentemente tivemos o episódio no qual algumas companhias alegaram preferir jogos de mundo aberto por ser mais fácil de explorar com dlc.

Em meio a tudo isso, Manveen Heir, ex-produtor da Bioware falou algumas coisas sobre essa situação e inclusive atacou a atual detentora dos direitos sobre a Bioware, EA Games.
De acordo com ele não há um espaço saudável para a produção de jogos single player, mesmo com a produção de alguns jogos passando de 100 milhões de dólares:
"Não criamos um bom ambiente para jogos single player que custam menos"
e ainda questiona e alfineta a EA:
"Por que razão não podemos ter os dois tipos? Por que razão tem que ser um em vez do outro? A razão é que a EA e as outras grandes editoras apenas se preocupam em receber o máximo possível de um investimento. Eles não querem saber dos interesses dos jogadores, apenas se preocupam com aquilo pelo qual os jogadores estão dispostos a pagar."
Vale ressaltar que a EA forçando a equipe de Mass Effect Andromeda mudar o foco para mundo aberto e multiplayer foi responsável pelo fiasco que se tornou o jogo da franquia de ficção científica.
E então galera? Visar o lucro é normal, afinal as produtoras são empresas e não entidades filantrópicas, mas até que ponto? A EA destruiu a franquia Mass Effect dessa maneira, então fica o questionamento, valeu a pena?
Facebook
0
Google
 
Top