Em entrevista ao Game Informer, o diretor executivo Tetsuya Takahashi, e o produtor Koh Kojima, abordaram diferentes temas sobre a criação de Xenoblade Chronicles 2, título muito aguardado para o Nintendo Switch com lançamento marcado para o dia 1º de Dezembro.

Sobre o visual de Xenoblade Chronciles 2, RPG desenvolvido pela Monolith Soft, Takahashi afirma que os desenvolvedores buscaram expressões faciais melhores em relação aos títulos anteriores.

Sentimos que, em Xenoblade Chronicles 1 e X, as expressões faciais eram um pouco duras, rígidas. Nós realmente queríamos colocar um pouco mais de foco na criação de expressões faciais para que os personagens fossem mais expressivos, por isso seguimos esse caminho, que você poderia dizer ser um pouco inclinado a algo como as animações japonesas. 

De acordo com Takahashi, Xenoblade Chronicles 2 será diferente dos títulos anteriores, mas não revelou maiores detalhes para não estragar a experiência dos jogadores.

É completamente diferente em termos de lugar, tempo, e espaço. Obviamente não posso divulgar todos os detalhes, mas se você jogar o game, acho que vai entender por que seu nome é Xenoblade Chronicles 2. Há muito que não posso falar ainda, que ainda não foi revelado. Acho que os fãs de longa data da série terão agradáveis surpresas.

Takahashi também fala que, pelo game ser focado em uma história, não fazia sentido que Xenoblade Chronicles 2 fosse um jogo de mundo aberto, sem a necessidade de vastos lugares a serem explorados.

Por ser um jogo baseado em história, não acho que um mundo aberto seria necessariamente apropriado. E sinto que fomos capazes de criar um jogo com um mundo que é apropriado e dá suporte a este aspecto. Por exemplo, se você compara-lo com Xenoblade 1, há vários lugares [e mundos] para explorar; mas quando você olhar para suas áreas, o jogo pode ser um pouco menor que Xenoblade Chronicles X. Como mencionei, não acho necessário um espaço tão grande, então, ao invés de focar no aumento de áreas e superfícies, pensamos que era mais importante aumentar a densidade e variedade no design, para que as pessoas fossem capazes de apreciar as mudanças de paisagens enquanto atravessam e exploram este mundo.

Segundo o Game Informer, o game possui 10 capítulos e foram necessárias 45 horas para chegar ao quarto capítulo. Para terminar a missão principal do jogo, Takashi sugere que os jogadores invistam tempo explorando quests secundárias.

O tempo necessário para terminar o jogo é alto. Se você só jogar a história principal, há o suficiente para comparar com Xenoblade 1, mas, assim como o passado da séries Xenoblade, se você só jogar a história principal, haverá momentos de dificuldade ao encontrar chefões ou inimigos difíceis demais para você vencer. Recomendo seguir missões secundárias, investir tempo em explorar áreas diferentes, derrotar monstros, coletar itens, aumentar o level de seu personagem e fazer quests.

Takashi finaliza dizendo que quer mais títulos da série no futuro, enquanto Kojima afirma que, com o término do desenvolvimento de Xenoblade Chronicles 2, ouvirá o que os fãs tem a dizer para poder tomar próximos passos.

Agora que passamos pelo processo de desenvolvimento, estamos em um ponto onde eu estou começando a pensar no que queremos fazer no futuro. Manteremos nossos ouvidos no chão para ouvir o que os fãs querem, o que eles esperam. Adoramos toda a colaboração com a Nintendo. Nós realmente estamos pensando na próxima coisa que vamos fazer, é onde estou no momento.

Na última terça-feira (7), um Nintendo Direct totalmente focado em Xenoblade Chronicles 2 foi divulgado pela Nintendo, que revelou um trailer focado em personagens, um crossover com The Legend of Zelda: Breath of the Wild, um Passe de Expansão, e um DLC com a dublagem original em japonês.


Fonte
Facebook
0
Google
 
Top