The Legend Of Zelda: Breath of the Wild marcou a franquia da Nintendo por se re-inventar e implementar grandes novidades - uma dessas mudanças foi a substituição das famosas dungeons por 120 santuários (shrines) no mapa do jogo. As mudanças funcionaram e abordar Breath of the Wild como um game de maior exploração agradou fãs e críticos.

Durante o Nintendo Power Podcast, os desenvolvedores do jogo explicaram que não queriam que jogadores perdessem muito tempo procurando pelas dungeons e que a implementação das shrines serviu para sempre manter o jogador em movimento. Você confere o que Hidemaro Fujibayashi, diretor de Breath of the Wild, disse sobre o assunto:

Nos games anteriores de Zelda, uma dungeon era muito, muito longa, e porque este jogo [Breath of the Wild] tem vários lugares a serem explorados e um dos temas era encontrar encontrar coisas [itens, locais, etc], pensamos sobre qual era a proporção para encontrar os Shrines enquanto os jogadores vagam pelos campos. Quando calculamos isso, acabamos criando 100 Shrines ou mais. Quanto ao tamanho, pensamos em talvez fazer grandes e longas dungeons, mas isso tomaria tempo, e jogadores teriam que dedicar muito tempo nas dungeons, então pensamos que uma Shrine tomaria uns 10 minutos. Pensamos que seria uma boa quantidade de tempo.

Agora sabemos que o novo sistema foi pensado justamente para os jogadores não perderem. Qual sistema você prefere? As já conhecidas dungeons da franquia ou os novos shrines? Deixe seu comentário.

Fonte
Facebook
0
Google
 
Top