Olá leitores tudo bem? hoje para nossa primeira Análise do ano traremos algo bastante incomum mas que não podia passar despercebido pelo nosso olhar afiado, e se trata do mangá de The Legend of Zelda: Ocarina Of Time. Então vamos voltar para Hyrule mas dessa vez por uma perspectiva diferente.

O mangá


Já faz algum tempo desde que saíram os rumores de que teríamos uma coleção de mangás sobre a franquia Zelda em nosso país, pra falar a verdade faz bastante tempo, tanto tempo que até um certo momento acreditei que o mangá não fosse chegar, mas graças as deusas eu estava enganado e em Dezembro de 2017 foi lançado o primeiro volume de seis de uma coleção bimestral que está sendo publicada pela editora Panini.

Ta muito bonito o mangá.
Inicialmente o que precisamos saber sobre esse primeiro volume, é que ele se trata do jogo Ocarina of Time, lançado para o Nintendo 64 em 1998 (e mais tarde para o 3DS em um remake de 2011), ele está saindo pelo preço de R$ 29,90 o que não chega a ser muito caro devido a quantidade de páginas composta pela obra (mais de 300), comprando em pré venda o volume vem acompanhado de um pôster e pelo site da editora é adicionado o valor do frete junto ao preço final ( para mim que moro na região sudeste ficou em 38,00 reais), o mangá vem em formato de livro, seu acabamento é bonito mas é um pouco frágil, suas medidas são as mesmas de um livro padrão tendo 15cm x 21cm cabendo facilmente em qualquer estante, as primeiras páginas da história são coloridas e depois assumem o estilo P&B (preto e branco) comum em mangás, o que pode frustrar um pouco é o fato de que sua leitura é no estilo oriental que é o estilo original de todos os mangás, mas que pode confundir um pouco quem não está acostumado com esse tipo de leitura, por sua vez logo na primeira página do volume (que na verdade é a última) temos um pequeno tutorial de como a história deve ser lida.

Um Link que fala


A história é desenhada pelas mangakas Akira Himekawa, que na verdade são o codinome de duas artistas  que começaram a publicar os mangás sobre a série Zelda em 1999 tendo como primeiro volume este que está sendo tema de nossa análise.

As autoras 
Conhecer a história de Ocarina of Time por uma outra perspectiva é algo realmente muito interessante, a começar pelo fato de que vemos Link falando, ok que talvez pudesse ser estranho se o herói do tempo passasse mais de 300 páginas calado, mas velo falando é algo que realmente nos chama muito a atenção, pois assim podemos ter uma ideia melhor sobre a sua personalidade.

Assim como no jogo a história é dividida em dois períodos, o primeiro sobre a infância de Link e o segundo com ele já adulto, o mangá segue os eventos ocorridos no jogo, porém algumas partes são um pouco diferentes, mas nada que seja uma mudança brusca demais, afinal, adaptar um jogo para um mangá realmente é algo que necessite de leves alterações, a história tem um ritmo rápido, os eventos vão acontecendo um atrás do outro num ritmo que é até satisfatório pois assim a história não fica arrastada, porém acho que algumas batalhas e lugares por onde Link passa poderiam ter sido melhor aproveitados.

Quanto ao roteiro ele é bem tranquilo e não força para tentar explicar a história, ela simplesmente flui, em alguns momentos os desenhos são mais descontraídos, principalmente no arco da infância, enquanto que no arco adulto o traço passa a ter uma certa seriedade, em certos momentos temos alguns alívios cômicos que também são bem vindos e remetem diretamente ao jogo, como o fato de Navi ser irritante as vezes, ou quando cortamos o mato de Hyrule com a espada.

DLCs?


Pode-se dizer que esse primeiro volume vem com duas DLCs, sim é isso mesmo que você leu, temos duas pequenas histórias adicionais que contam aventuras de Link que não tem nada a ver com a história principal, uma dessas aventuras chega a fazer uma pequena alusão a Majora’s Mask, enquanto que a outra história se passa com o Link já adulto.

Vale a pena?


Conhecer um pouco mais de Hyrule e de seus carismáticos personagens, com toda certeza é algo que vale bastante a pena, enquanto lia me deu vontade de jogar novamente o jogo e posso afirmar que o mangá ajuda a completar a incrível experiência que o cartucho do Nintendo 64 (e também do 3DS) nos proporcionou, sem contar que esses mangás serão uma coleção de seis volumes que também irão contar as histórias de outros jogos da franquia, então pra quem curte é um prato cheio para colecionar, e o fato de ser bimestral não é ruim pois assim ainda temos um tempinho para juntarmos nossas rupees e assim completarmos toda a coleção, então se você ainda tem alguma dúvida se deve adquirir esse primeiro volume ou não, eu espero ter te ajudado a tomar a sua decisão um pouco mais fácil, por hoje ficamos por aqui e até breve!
Facebook
1
Google
 
Top