Streets-of-Rage-4
Análises

Análise: Streets of Rage 4

Olá Gamers…

Clássicos da Sega chegarão para 3DS também no ocidenteNa era atual, uma número fantásticos de games tem sido lançado para todo e qualquer tipo de amante de jogos, tudo isso, visando agradar o players de plantão que amam consumir de modo absurdo todos os games possíveis. As grandes empresas, por muitas vezes, tem apostado em remakes e remaster para reviver suas grandes franquias, outras ainda, apostam em continuações, dando uma nova cara a franquia e continuando a história outrora interrompida, e com essa ideia, nasceu Streets of Rage 4.

Streets of Rage 4 foi lançado em 30 de Abril de 2020, sendo desenvolvido pelas empresas  SEGA, DotEmu, Lizardcube, Guard Crush Games, disponibilizado para PlayStation 4, Nintendo Switch, PCs Windows e Xbox One (esta “grátis” na Gamepass). O game em pauta é a continuação direta do terceiro game da fantástica séries de Beat’n up, lançado pela SEGA nos anos 90, que fez a alegria de muitos detentores do mítico Mega Drive (ou Sega Gênesis).

O game foi muito aguardado e tem grandes qualidades, todavia, uma falha na criação do primeiro save no Xbox One, faz com que o jogo perca alguns pontos. Se você, amado leitor, possui um Xone que esta com a linguagem em português, ao iniciar o game, após selecionar o perfil que será utilizado para a jogatina, a tela ficará congelada, e para resolver isso, nos dois primeiros dias do game, seria necessário trocar linguagem do seu console, algo muito simples, porém, com um lançamento tão aguardado, as vésperas da nona geração de consoles, um erro tão bobo como esse é decepcionante; mas ressalto, tal falha já foi corrigida.

História

Após 10 anos dos últimos acontecimentos em Streets of Rage 3, Wood Oak City vivia em paz, sem problemas que remetessem ao passado, porém, tal paz chegara ao fim. Os filhos do grande chefe da trilogia clássica, Mr X, fundam um novo sindicato do crime, os gêmeos Y, estes, causam terror em toda a cidade e corrompem até a polícia.

Introducing Streets of Rage 4: Behind the Art

Observando tal ocorrência, nossos protagonistas iniciais Axel, Blaze, (originais do primeiro game), Cherry (filha de Adan) e Floyd vão investigar a cidade, varrer os criminosos e acabar com todos o vilões, tudo isso com muita nostalgia, pancadaria sem limites e extrema qualidade. Os vilões e as batalhas contra eles são fantásticos e cada cenário pelo qual passaremos em nossas lutas, são deveras imersivos.

Jogabilidade

A jogabilidade é ótima e fluida, tendo como inspiração base o segundo game da série; temos socos, chutes, ataques mais fortes e os especiais que são muito úteis quando enfrentamos hordas de inimigos. Em nossos protagonistas, Axel é equilibrado, Blaze é ágil, Cherry tem seu trunfo nos especiais e Floyd é forte; cada um com suas habilidades especiais e técnicas que farão a aventura ficar ainda melhor. O game é um pouco lento, tenho que admitir, o bom e velho “2 pra frente” para correr, viria muito a calhar, melhorando ainda mais a jogabilidade, a dificuldade é acentuada, será muito fácil perder várias vidas em qualquer tela e apesar de apelarem muito, os Bosses, perto das ondas de inimigos, são simplesmente um caso de montar uma estratégia para serem vencidos, e toda a jogabilidade ficará cada vez melhor em um multiplayer, seja local ou online.

Streets of Rage 4 Arrives On April 30 – TEAM XBOX INFINITE

Gráficos

Os gráficos são visivelmente uma versão dos games anteriores aplicada na geração atual de consoles, tudo é vívido tanto os cenários quanto os planos de fundo, os inimigos muitos se assemelham aos games antigos, porém, com melhorias e os efeitos aplicados em cada especial são ótimos e inovadores para a série. Para os mais nostálgicos, é possível liberar os sprites antigos dos protagonistas, bem como desbloquear outros protagonistas de games anteriores, contando com 12 personagens jogáveis no total, claro, para isso, será necessário coletar muitos pontos e terminar o game algumas vezes.

Streets of Rage 4 Review – A Triumphant Return – Gaming, Gadgets ...

Sons

Os sons são imersivos e característicos da séries, trilha sonoras que se encaixam perfeitamente e os áudios a cada ação muito bem sincronizados e executados; e, mais umas vez, o fator nostalgia entra em cena, onde também é possível desbloquear os áudios clássicos dos primeiros games, tudo para agradar os Oldgamers.

Veredito

O game é ótimo e vai muito além de apenas nostálgico, mas sim, com suas originalidades e carisma próprio, porém, como é uma continuação direta de um agrande clássico da saudosa era dos 16 bits, utilizar a nostalgia faz com que o game ganhe ainda mais brilho e destaque. Porém deixo minha decepção com a produtora no glitch encontrado pelos usuários do Xbox One logo no lançamento do game, algo simples, porém, inaceitável.