Colunas

Jogos Musicais: um gênero diferenciado

Olá Gamers…

Em nosso amado universo gamer, gêneros diferenciados não faltam, tudo voltado para agradar tanto a “gregos como a troianos”, e sempre, buscando cativar aqueles que ainda não despertaram seu amor pelos jogos eletrônicos.

Resultado de imagem para jogo de ritmoOs jogos musicais ou jogos de ritmo são games que abrangem muito mais aqueles que nunca tiveram contato com um console do que gamers assíduos, todavia, o gênero se tornou tão bem trabalhado e amado que praticamente todos do “clã dos jogadores” já se aventuraram pelas longínquas terras que misturam musicalidade com jogabilidade.

O início

É conhecido que Space Invaders foi um fenômeno no início da era dos consoles, e realmente, o game foi um divisor de águas; porém, mesmo antes deste grande marco, em 1974, a badalada Atari lançou o Touch Me, um game de memória mesclado com música, no qual o jogador recebia uma sequência de cores e sons. O objetivo era memorizá-la e reproduzi-la até onde conseguisse.

Resultado de imagem para touch me atari

Na década de 1980, os games entram na era dos acessórios que acabaram morrendo, e no assunto música, podemos citar o tapete da Nintendo, o Power Pad, onde o player “criava” músicas pisando nos botões, algo que realmente não durou muito.

Resultado de imagem para power pad

Porém, o verdadeiro pai do conceito foi Parappa the Rapper, lançado em 1996 para PlayStation, e foi este game que padronizou a mecânica de apertar os botões na ordem em que apareciam na tela e graças ao game, conhecemos muitos outros que marcaram gerações.

Resultado de imagem para parappa the rapper

Destaques

Em todos estes anos, muitos games musicais fizeram sucesso, porém, mesmo que não sejam os mais conhecidos, outros obscuros, também ficaram marcados na era dos jogos de ritmo.

RockSmith


A franquia RockSmith foi lançada para consoles da 6ª e 7ª geração, e é claro, PC. O game da Ubisoft tem como principal característica utilizar uma guitarra real para a jogatina, o game dará uma introdução ao player de como utilizar o instrumento e seus acordes em cada etapa do jogo, e para quem quer um “empurrãozinho” para começar a estudar música, este jogo torna-se um prelúdio.

Imagem relacionada

Taiko no Tatsujin


Este game “maluco” da Bandai é uma série que tomou todas as mídias de jogos, consoles, mobiles e pcs; porém, seu início foi nas máquinas de Arcade onde seu controle era um tambor japonês da época do império. O game resume-se a músicas clássicas japonesas, inclusive de animes, tocadas em um tambor.

Resultado de imagem para jogo de ritmo

Persona


A aclamada série de JRPG, Persona, também tem seus jogos musicais com suas ótimas trilhas sonoras, em especial o jogo Persona 4: Dancing All Night, para PSVita, um ótimo título de dança, porém, o jogador deve apenas apertar botões em seu controle para que o personagem se movimentem. É interessante ressaltar que este game, possui um modo história.

Resultado de imagem para Persona 4: Dancing All Night

O Maior

Em 2007, a Actvision com algumas parcerias, lança, para mim, a maior franquia de jogos musicais de todos os tempos, o destruidor de controles, Guitar Hero, o game acumulou fãs na era do PlayStation 2, trouxe um novo tipo de jogabilidade, sete títulos, controles em forma de guitarra, bateria e microfone e músicas reais, tudo para trazer milhares de jogadores e não jogadores para frente da TV.

Resultado de imagem para guitar hero

O estilo saiu de moda, porém, sabemos que a moda vem e vai, será que algum dia voltaremos a ver jogos musicais em alta no mercado?